Bush e Stone Temple Pilots – Credicard Hall, São Paulo – 14/02/2019

Por Rogério Talarico

Viceral. Se tem alguma palavra que possa definir a apresentação do Bush em São Paulo é essa. Desde 1997 sem pisar em terras paulistanas, a banda comandada pelo excelente Gavin Rossdale retornou à terra da garoa divulgando o último álbum “Black and White Rainbows” (2017) e é claro, para matar a saudade dos fãs assiduos que esperaram o quarteto por longos 22 anos. Na abertura, contaram com a exímia banda clássica Stone Temple Pilots e com a brasileira República, já conhecida por muitos presentes.

Stone Temple Pilots, a banda orieginada na década de 90 na explosão do Grunge na região de Sattle veio ao Brasil com seu mais novo vocalisra o elétrico Jeff Gutt, que entrou na banda após ganhar o reality show X Factor nos EUA devido ao falescimento do ex vocalista da banda, Chester Bennington. Chester já havia substituído o também falecido Scott Weiland em decorrência de uma overdose. Jeff, acompanhado pelos irmãos Dean DeLeo (guitarra) e Robert DeLeo (baixo) além do Eric Kretz (bateria) subiu ao palco as 21h30min com “Wicked Garden”. Completamente ovacionados, o quarteto tocou clássicos do grupo que foram eternizados na voz de Weiland como “Vasoline”, a depressiva “Creep”, o hit “Plush” e “Interstate Love Song”.

Os irmãos DeLeo são conhecidos como um dos pilares do grunge mundial e só a presença deles já mostrava muita imponência. A surpresa foi a presença de palco de Jeff que estava trajado com vestimentas parecidas com a de Scott, além de possuir presença de palco e voz muito semelhante, o que de fato agradou logo de cara os fãs mais assiduos do grupo.

Com 1h20min de show, o quarteto começou os primeiros acordes de “Sex Type Thing”, outro grande clássico da banda encerrando assim uma ótima apresentação, deixando ao Bush uma tarefa bem dificil de ‘superar’ essa apresentação.

Às 23h, Gavin Rossdale (vocais), Chris Traynor (guitarra), Corey Britz (baixo) e Robin Goodbridge (bateria) subiram ao iluminado palco do Credicard Hall. Como se soubessem da responsabilidade, o grupo abriu com a mais conhecida de sua carreira e “Machinehead” incendiou o publico que abarrotava a casa de shows.

A banda toda desde o início parecia bem animada mas devo exaltar a presença de palco de Gavin, ele nasceu pra isso, é um verdadeiro rockstar. Empolgante, potente, animador além de uma voz única, Rossdale não sussegou nenhum momento para entreter seu publico. Assim como o grupo anterior a banda resolveu tocar apenas ‘a nata’ das suas canções como “This is War”, a pesada “Everything Zen” com seu pegajoso refrão e riffs marcantes e “Swallowed” do álbum “Razorblade Suitcase”.

Na reta final do show, o Bush resolveu prestar um tributo ao Beatles e tocaram uma versão bem animada de “Come Together”. O momento mais calmo da noite então chegou com Rossdale aparecendo no palco sozinho para tocar uma versão semi-acústica de “Glycerine” e nem mesmo neste momento o público ficou calmo. “Comedown” foi a derradeira da noite e contou com um momento muito especial e marcante: Gavin desceu do palco, foi até a pista comum, voltando pela pista vip, interagindo com seus fãs enquanto cantava, quase sem seguranças, mostrando muito apreço por seu fiel público além de mostrar que o rock n´roll circula por suas veias. Com certeza este show fez valer a espera de 22 anos e esperamos que a banda não demore tanto tempo para regressar ao país.

Agradecimentos a Time For Fun pela atenção e credenciamento.

Set List Bush:

Machinehead
The Chemicals Between Us
The Sound of Winter
This Is War
The Disease of the Dancing Cats
Everything Zen
Greedy Fly
Let Yourself Go
Swallowed
Little Things
Come Together (The Beatles cover)
Glycerine
Comedown

Set List Stone Temple Pilots:

Wicked Garden
Crackerman
Vasoline
Silvergun Superman
Big Bang Baby
Big Empty
Creep
Plush
Meadow
Interstate Love Song
Roll Me Under
Dead & Bloated
Trippin' on a Hole in a Paper Heart
Sex Type Thing

Pesquisa

Redes Sociais

Newsletter