Epica - Opinião, Porto Alegre - 30/09/2012

por Carol Flores

Após uma primeira passagem pela capital gaúcha em 2010, a banda EPICA retornou a Porto Alegre durante a turnê de divulgação do seu mais recente álbum (Requiem for the Indifferent), o quinto da carreira deste grupo holandês que é um dos destaques na cena. Liderados por Mark Jansen e contando com a forte imagem da bela vocalista Simone Simons,  o Epica prendeu a atenção dos presentes no Opinião, confirmando seu status de destaque na cena mundial.


O show de abertura ficou por conta da banda gaúcha SASTRAS que, apesar de realizar uma apresentação curta devido ao atraso da programação da noite, conseguiu animar o público que aos poucos chegava no Opinião. A proposta da SASTRAS pode até não ser do agrado do público metal em geral, mas deve ser respeitada.  A cena nacional ainda não dá muito espaço para bandas que, assim como a SASTRAS, priorizam o uso do português ao invés do língua inglesa em suas composições. Entretanto, devido ao talento demonstrado ontem em sua curta apresentação, a SASTRAS mostra também ter potencial para deixar os diversos preconceitos existentes na cena brasileira de lado e se firmar como um dos destaques do metal gaúcho. Fica a dica para conhecer o som da SASTRAS.

Chega por fim o momento de reencontro entre os gaúchos e o EPICA: a intro “Karma” seguida pela ótima “Monopoly on Truth”, ambas do álbum de divulgação da turnê “Requiem for the Indifferent”, dão início ao show. “Sensorium” e o single “Unleashed” vêm logo após. Este trio inicial fez o público romper em gritos, influenciando também a atitude da banda, com os cinco integrantes mal parando no palco, sendo destaques os guitarristas Mark Jansen e Isaac Delahaye.


Era a vez de mais uma música do álbum “Design Your Universe” , a pesada “Martyr of the Free Word” que tem o vocal gutural de Mark Jansen como marca. Aliás, é bom citar toda a atenção  que o fundador do EPICA tem com os fãs brasileiros em geral. Tendo a simpatia como uma de suas características mais marcantes, é difícil pensar no EPICA sem Mark Jansen.  Seu vocal gutural contrasta com o lírico de Simone e sua simpatia com os fãs transparece na atitude da banda em geral.

“Serenade of Self-Destruction” foi a próxima da noite, com certos momentos de calmaria na platéia, principalmente nas longas partes instrumentais desta que é a música mais longa do álbum “Requiem for the Indifferent”. A apatia logo acabou com o coro inicial de “Cry For The Moon”, um dos hinos do EPICA pertencente ao álbum de estréia da banda. Após um breve solo de bateria era a vez do single “Storm The Sorrow”, a música do mais novo álbum da banda que mais obteve resposta do público presente no Opinião.

As duas músicas da noite do álbum “The Divine Conspiracy” vieram em seguida: “The Obsessive Devotion” e“ Sancta Terra” manteram a animação dos fãs. Em “Quietus”, uma fã foi convidada a subir no palco e ter seu “momento Simone Simons” ao poder curtir o show junto com a banda. “The Phantom Agony” com sua versão dance (uma brincadeira que a banda costuma fazer com a música) fechou a primeira parte do show com todos deixando palco.


Ao retornar ao palco sozinho o tecladista Coen pede aos fãs que participem da próxima canção usando seus celulares ao velho estilo “isqueiro”.  A balada “Delirium” é então tocada, com destaque para o vocal da Simone e também para o próprio Coen. “Blank Infinity” e a excelente “Consign to Oblivion” fecham o setlist que não mostrou nenhuma novidade em relação ao resto da turnê mas nem por isso deixou a desejar.


O EPICA está prestes a completar dez anos de carreira tendo cinco álbuns lançados e se consolidando, definitivamente, como uma das bandas de maior influência na cena em que atua. A turnê de divulgação do álbum “Requiem for the Indifferent” não deixa de ser também uma turnê de comemoração pela data especial. Os fãs saíram satisfeitos ontem do Opinião tendo como promessa um retorno  breve de sua banda preferida, promessa esta feita pela própria Simone.

Setlist

Karma
Monopoly on Truth
Sensorium
Unleashed
Martyr of the Free Word
Serenade of Self-Destruction
Cry for the Moon
Storm the Sorrow
The Obsessive Devotion
Sancta Terra
Quietus
The Phantom Agony
Encore:
Delirium
Blank Infinity
Consign to Oblivion

Agradecimentos a produtora Abstratti

Pesquisa

Redes Sociais

Newsletter