W.A.S.P. e Accept: show único no Brasil já é nesta semana!

As bandas W.A.S.P. e Accept confirmaram show único no Brasil para o dia 8 de dezembro. As apresentações serão no Dark Dimensions Metal Fest, com produção de Dark Dimension e MB Produções, na casa de shows Internacional Events (Antiga Philips - av. João Cavalari, 133) em Guarulhos (SP).

Os ingressos já estão à venda, no site do Clube do Ingresso e em diversos pontos de venda, com ou sem taxa de serviço, especificados em publicação nas redes sociais da produtora.

As entradas de primeiro lote custam:

- Pista: R$ 280 (inteira), R$ 140 (meia-entrada para estudantes ou meia solidária para não estudantes com doação de 1 kg de alimento);
- Pista premium: R$ 500 (inteira), R$ 250 (meia-entrada para estudantes ou meia solidária para não estudantes com doação de 1 kg de alimento).

Em suas turnês atuais, W.A.S.P. e Accept não estão promovendo nenhum álbum de estúdio lançado recentemente. A banda de Blackie Lawless, que tem excursionado com o brasileiro Aquiles Priester na bateria, realizou uma série de apresentações por festivais europeus recentemente - mesmo caso do Accept, que vinha divulgando o ao vivo "Symphonic Terror: Live at Wacken" (2018).

Confira o serviço abaixo: 

Data: 08 de dezembro de 219 (domingo)
Local: Internacional Eventos (antiga Philips)
Endereço: Av. João Cavalari, 133. Ponte Grande (em frente ao Shopping Internacional)
Classificação etária: +16
Horário:
Accept - 18h30
W.A.S.P. - 20h40

Venda online: https://www.clubedoingresso.com/evento/darkdimensionsmetalfest

Pontos de vendas sem taxa de serviço (Carioca club e Loja 255 Galeria do Rock) apenas para pagamento em dinheiro:

Carioca Club Pinheiros
Rua Cardeal Arcoverde, 2899, Pinheiros - São Paulo, SP
De segunda à sexta-feira das 12:00 às 18:00 horas
Sujeito a cobrança de taxa de serviço para pagamento com cartão de crédito ou débito

Galeria do Rock - Loja 255
Avenida São João, 439, Centro - São Paulo, SP
De segunda à sexta-feira das 10:30 às 19:00 horas
Sábado das 10:30 às 17:00 horas

 

Richie Kotzen – Carioca Club, São Paulo – 20/11/2019

Texto e fotos por Rogério Talarico

Richie Kotzen é um exímio guitarrista que dispensa apresentações. Apenas contextualizando o leitor desta resenha, Kotzen já tocou em grandes bandas como Poison e Mr. Big em suas “épocas de ouro” e hoje em dia possui seu próprio projeto solo (que já possui mais de 20 álbuns lançados), além de estar à frente do The Winery Dogs.

Pontualmente às 21h, Kotzen nos vocais e guitarra, Mike Bennet na bateria e Dylan Wilson no baixo, subiram ao som da empolgante “Riot”. Kotzen não apenas toca extremamente bem seu instrumento como possui um timbre de voz singular e aparentemente canta com a maior facilidade do mundo e essa união de talentos encanta facilmente quem o vê ao vivo.

É claro que os músicos que o acompanham não ficam pra trás, Mike e Dylan também tocam e fazem as vozes de apoio do cantor de forma singular tornando o trio algo facílimo de ver e se emocionar ao vivo, mesmo em meios a longos solos de guitarra executados por Kotzen. O músico não economizou nos clássicos e tocou canções como “Bad Situation”, “Doin' What the Devil Says to Do”, “High’ que foi ovacionada pelo público e também “Remember”, com o grupo saindo do palco no término da canção.

Para o bis, Richie reservou seu mais novo single e “Venom” ganhou o público paulista. Visivelmente incomodado com o som que estava estourado em uma das caixas de som da casa de shows e também com uma de suas guitarras, o guitarrista não desanimou e presenteou o público com “Stand’, música de sua época no Poison e única cover executada nesta noite. Mesmo com um setlist curto, contendo apenas 13 canções, a banda encerrou sua apresentação com “Help Me” e com certeza entregou muita emoção e um show digníssimo nesta noite de feriado em São Paulo.

Agradecimentos a Heloísa Vidal e a FreePass pela atenção e credenciamento.

Set List:

Riot
War Paint
Bad Situation
Your Entertainer
Love Is Blind
Doin' What the Devil Says to Do
High
Peace Sign
Fear
Remember

Encore:
Venom
Stand (Poison cover)
Help Me

 

Evergrey se apresenta nesta sexta (22/11) no Rio de Janeiro

O heavy metal produzido na Suécia é referência mundial ao estilo, tendo o Evergrey como banda essencial neste processo. Em 23 anos, o vocalista e guitarrista Tom Englund comandou o Evergrey ao alto escalão do metal, hoje reconhecida como uma das formações mais talentosas e criativas do gênero. Nesta nova passagem pelo Rio de Janeiro, dia 22 de novembro (sexta-feira), no Teatro Rival, a banda traz a turnê do aclamado The Atlantic, cujo repertório também inclui sucessos de outras fases da carreira.

A produção é da Onstage Agência, que também organiza um Meet & Greet com o Evergrey no mesmo dia, às 19h30. Adquira aqui seu ingresso para o encontro com a banda: bit.ly/EvergreyMeetAndGreetRJ (o ingresso do M&G não dá direito ao show, cuja entrada deve ser adquirida em http://bit.ly/EvergreyRJ).

O Evergrey ficou famoso pela autêntica mistura do peso do heavy metal com andamentos progressivos, embalados numa sonoridade que transborda emoção. Os arranjos das músicas, independente se do começo mais prog ou atualmente, numa roupagem mais moderna, estão sempre alinhados às variações de vocal e do instrumental, que convidam o ouvinte à imersão completa nas histórias contadas pela banda.

Completam a banda Jonas Ekdahl (bateria), Henrik Danhage (guitarra), Johan Niemann (baixo) e Rikard Zander (teclado), a formação que gravou The Atlantic. O disco, lançado em janeiro deste ano, já é apontado por diversos jornalistas de música como um dos grandes lançamentos de 2019. Na revista Roadie Crew, recebeu nota máxima.

Neste retorno ao Rio de Janeiro, clássicos absolutos do Evergrey têm presença garantida no setlist a ser executado no Teatro Rival: a definitiva A Touch of Blessing, facilmente uma das canções mais emotivas da música pesada de todos os tempos; Leave It Behind Us, a impactante faixa de abertura do disco Glorious Collision; arrebatadora Recreation Day, entre outras de fases mais recentes, como The Grand Collapse e The Fire.

SERVIÇO
Evergrey no Rio de Janeiro
Evento: https://www.facebook.com/events/484896852263644/
Data: 22 de novembro de 2019
Horário: 21 horas
Local: Teatro Rival
Endereço: Rua Álvaro Alvim, 33 - Cinelândia/Rio de Janeiro
Ingresso:
Pista meia ou promocional: R$ 120^
Mezanino A e B meia ou promocional: R$150
^Mediante entrega de 1 quilo de alimento não perecível no dia do evento.
Venda Online
http://bit.ly/EvergreyRJ
Classificação etária: 18 anos


 

Tom Englund sobre os shows no Brasil: "Tentaremos criar algo especial para os nossos fãs brasileiros"

Tivemos a oportunidade de entrevistar Tom Englund, vocalista e líder do Evergrey. Nesta entrevista falamos sobre o “The Atlantic”, último álbum lançado pelo grupo, seus clipes e também sobre seu projeto paralelo, “Silent Skies”. Confira abaixo como foi este bate-papo:

MetalConcerts: Vamos começar falando do “The Atlantic”. Gostaria de te elogiar e falar que certamente é o melhor álbum de 2019 que ouvi até o presente momento, um álbum incrível! Sabemos que vocês tiveram um contratempo no meio das gravações e tiveram que regravar o álbum todo. Como foi regravar o álbum inteiro em tão pouco tempo? As composições eram muito diferentes das versões que ouvimos? Alguma música foi acrescentada ou retirada?

Tom Englund: Muito obrigado! Nós realmente apreciamos isso! Sim, foi uma experiência terrível e, é claro, algo que preferiríamos ter ficado sem, no entanto, ao mesmo tempo, deixou este álbum ainda mais completo, tendo que lembrar as coisas e os detalhes que você escreveu do fundo da sua mente. Claro que é algo totalmente impossível e que mudou as músicas, mas talvez para melhor. Todas as composições são diferentes, mas principalmente nas composições vocais, pois tive que cantar novamente. Para a música (instrumental), a maior parte foi capaz de reunir novamente a partir de discos rígidos de backup e juntar tudo novamente, mas não todas elas, portanto uma situação estressante, com certeza.

MetalConcerts: Ainda sobre o “The Atlantic’: Para mim, as canções tratam sobre perda e recomeço, principalmente “Departure” que possui uma letra pesada e um clima triste e é uma das canções mais bonitas que já ouvi. Sobre o “fundo de cena” das canções, há algo que você poderia falar, para nós? Qual sua motivação para escrever canções tão expressivas?

Tom Englund: Quero dizer, “The Atlantic“ é, obviamente, o terceiro capítulo de uma história em andamento que ainda está acontecendo comigo enquanto escrevo isso. É sobre reconstruir, restaurar e reinventar o eu. Reconstruir a imagem e a identidade e, talvez, acima de tudo, a sua visão de si e de como você viu sua vida. Mais do que isso, eu diria que os detalhes profundos estão nas letras, expressas na maneira que quero “pintá-las“ para o público.

MetalConcerts: Possui alguma canção predileta, no “The Atlantic”? E olhando para todos os álbuns, qual é a canção que você mais tem orgulho pela composição?

Tom Englund: Eu acho que “A Silent Arc” é uma delas, mas, como te falei, eu realmente amo o álbum inteiro. Parece tão vivo para mim, como se eu colocasse o coração e a alma dentro do álbum. E nós realmente fizemos, eu certamente fiz isso. Penso que cada música de cada álbum é algo de que você tem muito orgulho ou deve se orgulhar para estar em um álbum, se isso não for um momento de orgulho, não há nada a fazer. Eu diria “Solitude Within”, “A touch of blessing”, “Faith Restored”, “The Aftermath”, “The storm within”, são todas músicas que tenho muito orgulho de termos escrito.

MetalConcerts: O Evergrey ficou conhecido por seus clipes maravilhosos em paisagens paradisíacas, gostaria de parabenizá-los pelo ótimo trabalho visual que fazem também! Podemos aguardar um DVD ao vivo ou até mesmo algo ao vivo em alguma dessas paisagens em um futuro próximo?

Tom Englund: Mais uma vez, muito obrigado… Bem, acabamos de lançar um monte de vídeos para as músicas do “The Atlantic”, para que não tenhamos mais nada a extrair desse álbum. Lançar um novo ‘Live Show’ em Blu-ray ou seja lá o que fomos fazer, hoje em dia, as pessoas quase não compram mais shows, então é economicamente difícil para uma banda fazer. Quero dizer, o DVD “A Night to Remember” nos custou 150.000 euros para fazer, o que para nós foi um custo gigante na época. O equivalente hoje, eu não sei. Mas os vídeos fazem parte do nosso DNA, juntamente com Patric Ullaeus.

MetalConcerts: As canções de vocês possuem arranjos incríveis. Vocês já pensaram em gravar juntamente a uma orquestra? O que vocês podem adiantar sobre o futuro do Evergrey?

Tom Englund: Sim e não, nunca escrevemos arranjos de uma maneira real para uma orquestra completa, simplesmente porque não sabemos como. Mas tivemos um quarteto de cordas ao vivo em algumas ocasiões diferentes, o que foi muito legal, é claro.

MetalConcerts: O Brasil está aguardando um retorno de vocês há 8 anos. Infelizmente ficamos de fora da rota de vocês na divulgação do “Hymns for the Broken” e “The Storm Within”. Podemos esperar um setlist diferenciado para os shows em novembro? Vocês planejam algo diferente focado nestes álbuns para a tour no Brasil?

Tom Englund: Tendemos sempre a nos concentrar em nossos álbuns mais recentes, especialmente porque eles são muito bem-sucedidos para nós, mas sempre tentaremos incluir algumas músicas mais clássicas, é claro. É claro que tentaremos criar algo especial para os nossos fãs brasileiros!

MetalConcerts: Há algo de novo da cena “Metal” que você esteja escutando? Fora da cena “Metal”, há algo que você escute, goste e que surpreenderia a todos ou algo que você esconda até mesmo de seus amigos e namorada e pode nos contar, hahaha?

Tom Englund: Hahhahha! Eu não escondo nada! No momento, eu ouço o novo álbum do Darkwater que soa muito bem e o novo lançamento do Leprous. Escutei também o novo do Opeth e, fora disso, costumo ouvir muitas músicas de piano e trilhas sonoras, adoro Olafur Arnalds, Johann Johannson, Susanne Sundför e artistas como eles. Mas eu também sou um fã de pop, cabeça dura de tudo, desde os Backstreet Boys até hoje One Republic e Tove Lo, etc ... Eu não quero perder nada na música!

MetalConcerts:  Uma pergunta pessoal, fora do Evergrey: Você iniciou recentemente o projeto Silent Skies, que já tem uma música lançada, "Horizons". Você planeja lançar um álbum completo e cair na estrada? O que podemos esperar deste projeto?

Tom Englund: Bem, para começar, confira no Youtube e no Instagram, precisamos de alguns fãs brasileiros, é claro! Você pode esperar uma música extremamente sombria vinda das profundezas mais sombrias de Vikram e eu. Mal podemos esperar até o lançamento do álbum, mas, os 2 primeiros vídeos dos quais já gravamos 1, serão lançados muito em breve. Então nós também podemos fazer uma versão sombria de uma música de Natal. O álbum Silent Skies é composto por 11 músicas de piano, vocais, violoncelo e, se você gosta desse tipo de música, confira-nos e deixe nos seus comentários!

MetalConcerts:  Agradeço você por sua atenção e tempo. Existe alguma mensagem que queira deixar aos fãs brasileiros?

Tom Englund: Obrigado! Certifique-se de aparecer e nos ver ao vivo! Estamos tão velhos agora, então pode ser que seja a última vez ;) “O Brasil é lindo e maravilhoso!”.

Com produção da Overload, OnStage e Circle To Infinity, o Evergrey estará no Brasil em divulgação do “The Atlantic” no Rio de Janeiro (22/11 no Rival Petrobrás), em São Paulo (23/11 no Carioca Club) e em Limeira (24/11 no Bar da Montanha). Confira o serviço completo, aqui.

 

Mr. Legacy: O melhor do rock internacional em versões acústicas personalizadas

A banda paulistana lança, com show em São Paulo, o seu 1º DVD, no qual apresenta um repertório impecável relido com muito requinte e criatividade

Para alguns desavisados, bandas que se dedicam a tocar clássicos do rock são todas iguais, tocando basicamente as mesmas canções de uma forma mecânica e burocrática. Se você por acaso pensa assim, deveria ouvir urgentemente o quarteto paulistano Mr. Legacy, pois mudaria imediatamente de opinião.

O grupo se apresenta em São Paulo no dia 19 de novembro (terça-feira) às 20h30 no Teatro UMC tendo como objetivo o lançamento de seu primeiro DVD, Acoustic Session, do selo Alternative Music Records e distribuído pela Voice Brasil, a maior dedicada ao rock/metal brasileiro.

Integrado por Douglas Coronel (vocal, teclados, gaita e guitarra), Ed Carvalho (vocal e baixo), Carlos Zanin (vocal, guitarra e violão) e Sergio Marchezoni (vocal e bateria), este grupo tem como marca registrada o tratamento minucioso e detalhista que dedica a cada uma das músicas que toca.

Seu repertório abrange a história do rock como um todo, indo desde a década de 1950 até os dias atuais, mergulhando em canções escolhidas a dedo e sem cair na mesmice de nomes como Beatles, Creedence Clearwater Revival, Deep Purple, Duran Duran, U2, A-ha, Lenny Kravitz, Imagine Dragons e inúmeros outros.

Em Acoustic Session, o Mr. Legacy investe em releituras personalizadas de alguns desses clássicos roqueiros, sem desrespeitar a essência das canções, mas acrescentando a elas a identidade musical da banda.

Gravado ao vivo em São Paulo em setembro de 2018 no Stones Music Bar, o DVD flagra os quatro músicos em um palco em formato de arena circular cujo objetivo foi aproximar o público dos músicos, com iluminação sóbria e set list com canções favoritas dos integrantes e que fogem da obviedade.

No show, o grupo mostrará músicas do DVD e também algumas que ficaram de fora, buscando uma proximidade entre eles e a plateia. Um dos destaques será o arranjo que fizeram para o clássico “Hunting High And Low”, do A-ha.

Biografia

Em 2012, os então já experientes Douglas Coronel e Ed Carvalho se uniram ao lendário João Kurk, ex-integrante de grupos célebres como Terreno Baldio e Rock Memory, para criar a banda Mr. Kurk. Surgia ali o embrião do Mr. Legacy, cujo nome, por sinal, é uma homenagem ao saudoso roqueiro, que nos deixou em 2017.

Para o quarteto, o legado de Kurk no trabalho deles é muito importante, principalmente em relação à postura profissional e à metodologia de trabalho, com atenção aos mínimos detalhes de cada música e muito esmero para buscar essa perfeição, sempre respeitando as gravações originais.

Um dos pontos altos do Mr. Legacy é o fato de todos os seus integrantes cantarem, alternando dessa forma os vocais principais e também investindo em arranjos vocais a cargo de Douglas, que é professor de canto. Dessa forma, há uma gama maior de nuances, timbres e tessituras vocais.

Saiba mais em www.mrlegacy.com.br

Serviço- show Acoustic Session- Mr. Legacy
Data: 19 de novembro (terça-feira) às 20h30
Teatro UMC
Endereço: avenida Imperatriz Leopoldina, nº 550- Vila Leopoldina
Fone: 0xx11-2574-7749

Ingressos a R$ 30,00 (meia) e R$ 60,00 (inteira)
Site: www.teatroumc.com.br

Fonte: Mirian Martinez Assessoria

 

Pesquisa

Redes Sociais

Newsletter