Torture Squad & Krisiun - Sesc Pompéia, São Paulo - 11/01/2013

Por Leandro Cherutti

O SESC Pompéia, localizado na zona oeste da cidade de São Paulo, recebeu nos dias 11 e 12 de janeiro, duas grandes atrações do metal nacional, atrações as quais realizaram dois shows altamente eletrizantes e que entraram para a história. Os protagonistas foram duas bandas de renome mundial, sendo a primeira a paulistana Torture Squad, que após a saída do vocalista Vitor Rodrigues, vem se aventurando em um novo formado, agora em power trio. Já o outro é o mais brutal grupo já formado em terras tupiniquim, nada mais nada menos que o Krisiun, que esta há muito tempo levantando a nossa bandeira pelo mundo afora, e que hoje em dia esta no mesmo patamar de grandes nomes como Deicide, Morbid Angel, Cannibal Corpse, Obituary entre outras.

A noite do dia 11 a qual estive presente estava fresca e agradável, e foi neste clima que o SESC Pompéia foi completamente tomado por um mar de pessoas, em sua maioria trajando roupas pretas. Os poucos que não estavam de preto serviram como um ponto de referência dentro da casa, que estava praticamente lotada. O show teve seu inicio pontualmente às 21h35, com o Torture Squad subindo ao palco ao som de uma ótima introdução, que logo se emendou com a fascinante composição Requiem for the Headless Rider do aclamado CD Pandemoniun. Esta foi à segunda vez que tive a oportunidade de presenciar a banda com este novo formado, e em minha opinião, o que vi e ouvi, foi um Torture Squad mais voltado para o lado do Thrash Metal, tanto musicalmente quanto na presença de palco. Atualmente o grupo esta formado por Castor (Baixo), Amilcar Christófaro (Bateria) e André Evaristo, que além de guitarrista, acabou assumindo também o posto de vocalista. É evidente que Vitor Rodrigues possuía uma presença muito marcante dentro da banda, mas sem querer comparar estilos, André Evaristo vem se portando muito bem a frente dos vocais.

Seguindo com a apresentação tivemos a grata presença da faixa Mad Illusions, que veio representando muito bem o ótimo disco Asylum of Shadows. O repertório ainda contou com contou Pandemonium, A Soul in Hell, Convulsion e Holiday in Abu Ghraib. A parte final ficou por conta de Living For the Kill e Horror and Torture. Após 35 minutos de apresentação o Torture Squad realizou um show redondo, coeso e com muita pegada

Foram cerca de 30 minutos de intervalo entre uma banda e outra, até que às 22h40 as luzes se apagaram e o Krisiun adentrou ao palco. Chegaram mostrando toda a força e agressividade com Kings of Killing e Sentenced Morning. Dando ênfase em seu novo trabalho The Great Execution, o trio gaúcho executou com perfeição a novata, porém marcante The Will Potenc, faixa a qual já caiu na graça dos fãs. Com o público em mãos, Alex Camargo (Baixo/Vocal), tratou de agradecer a todos que compareceram ao show, e retribuiu todo o entusiasmo com a boa Vicious Wrath do disco Assassination de 2006. A banda também conta com a presença do distinto guitarrista Moyses Kolesne, que a cada faixa executada, mostrava toda sua versatilidade e técnica em uma atuação impecável. Localizado mais ao fundo e ao centro do palco, Max Kolesne mostrava toda sua velocidade e agressividade na bateria, mostrando a todos o porquê é considerado um doas bateristas mais rápidos do mundo. Se eu tivesse que definir estes três irmãos em uma simples palavra, eu diria: Brutalidade.

O grupo soube muito bem como explorar o seu vasto repertório, utilizando a faixa certa para cada momento especifico do show. O set seguiu com a invasiva Combustion Inferno que chegou antecedendo Descending Abomination, mais uma bela canção do último trabalho. Ainda vieram na seqüencia Ravager, Blood of Lions e Bloodcraft. O relógio andou rápido, e nesta determinada altura do espetáculo estávamos nos aproximando do fim, mas ainda restavam quatro músicas a serem apresentadas ao público. A primeira delas foi à surpreendente Vengeance Revelation, que só fez aumentar ainda mais o entusiasmo dos fãs, que ainda receberam a imponente Hatred Inherith e Minotour. Para finalizar este encadeamento fulminante mandaram a clássica Black Force Domain, que representou muito bem toda a brutalidade contida nas músicas do Krisiun.

A nova temporada de shows na capital paulista teve um inicio mais que especial, agora é aguardar e ver o que este ano de 2013 nos reserva.

 

Setlist – Torture Squad

Intro - Requiem for the Headless Rider
Mad Illusions
Pandemonium
A Soul in Hell
Convulsion
Holiday in Abu Ghraib
Living For the Kill
Horror and Torture

Setlist – Krisiun

Kings of Killing

Sentenced Morning
The Will to Potency
Vicious Wrath

Combustion Inferno
Descending Abomination
Ravager
Blood of Lions
Bloodcraft
Vengeance Revelation
Hatred Inherith

Minotour
Black Force Domain

Agradecimentos ao Luciano Piantonni da LP Metal Press.

Pesquisa

Redes Sociais

Newsletter