Epica - Via Funchal, São Paulo - 28/09/2012

Por Rogério Talarico
Fotos por Bárbara Martins

 

Em sua 5ª passagem pelo Brasil, os neerlandeses do Epica retornaram com a divulgação do aclamado álbum ”Requiem for the Indifferent”, seu último CD lançado em 2012, abrindo uma sequência de três shows pelo país sendo o primeiro na cidade de São Paulo.

Provando ser um público fiel, ainda pela tarde os fãs se aglomeravam nos portões da renomada casa de shows Via Funchal. A abertura do show ficou por conta da banda gaúcha Tierramystica, que aqueceu com êxito o público que ali estava.

Às 21h40min, a banda formada por Simone Simons no vocal, Mark Jansen e Isaac Delahaye nas guitarras, Ariën Van Weesenbeek na bateria, Coen Janssen no teclado e seu novo baixista, o competente Rob Van der Loo entraram no palco ao som de “Karma” e da ótima “Monopoly on Truth”, ambas do álbum em divulgação. Retornando ao seu primeiro álbum, o “The Phantom Agony” lançado em 2003, tocaram o hit “Sensorium” que contou com efeitos de pirofagia, levando o público ao delírio.

“Unleashed” seu antigo single foi tocado e ao cumprimentar o público num belo português, o guitarrista Mark Jansen iniciou os rápidos riffs de “Martyr of the Free Word”, ambas do sucesso “Design Your Universe” lançado em 2010. Com o clima nebuloso, anunciaram a nova e bem trabalhada “Serenade of Self-Destruction”, e logo seu maior single “Cry for the Moon”, com a banda fazendo uma versão prolongada e para brincar com o público, Simone entoou um solfejo após seu último refrão fazendo seu público o repetir. Novamente em portugês, Mark soltou um: “Vocês são FODA!”, e começou “Storm the Sorrow” seu mais novo single, tendo como destaque seu grande final, cantado por Simone e acompanhado pelos guturais de Mark e Isaac.

O destaque que viria a seguir foi do novo baixista Rob, que segurou muito bem o ritmo da música “The Obsessive Devotion”, que possui ótimos acordes de baixo. Na sequência “Sancta Terra” (The Divine Conspiracy, 2007) e “Quietus”, em que Simone anunciou que faria um concurso para descobrir a pessoa mais animada da plateia e, enquanto Ariën executava um bom solo de bateria, o guitarrista Isaac escolheu uma fã para subir ao palco e agitar durante a execução desta canção, mostrando um enorme apreço por seu público. As luzes se abaixaram e o clima que deveria dramático foi substituído por pura alegria em uma diferente versão de “The Phantom Agony”, muito alegre e com todos os integrantes pulando, tornando o show literalmente em uma festa e finalizando a música com todos os integrantes saindo do palco.

Em seguida, Coen retornou ao palco falando de sua consideração pelo Brasil e ratificou que retornou para mais canções, iniciando “Delirium”, com uma introdução acústica realizada por Mark e Isaac no violão, sendo a mais calma - e sem dúvida - um dos pontos altos da noite. Retornando a um grande sucesso de 2005, a bela “Blank Infinity”, com Mark e Simone interagindo entre si por toda a canção e com Simone cantando seu final de uma forma esplêndida, sendo ovacionada pelos fãs. Encerrando, a estrondosa “Consign to Oblivion” do CD homônimo de 2005 foi tocada, finalizando de forma inexcedível e memorável esta bela apresentação em São Paulo.

 

 

 

Set List:

01.Karma
02.Monopoly on Truth
03.Sensorium
04.Unleashed
05.Martyr of the Free Word
06.Serenade of Self-Destruction
07.Cry for the Moon
08.Storm the Sorrow
09.The Obsessive Devotion
10.Sancta Terra
11.Quietus
12.The Phantom Agony

Encore:

13.Delirium
14.Blank Infinity
15.Consign to Oblivion



Agradecimentos á Damaris Hoffman da Top Link e a Miriam Martinez do Via Funchal pela atenção e credenciamento.

Pesquisa

Redes Sociais

Newsletter