Setembro Negro Festival - Carioca Club, São Paulo - 08/09/2012

Por Leandro Cherutti


O renomado evento de música extrema Setembro Negro Festival, teve no último final de semana a sua 11ª edição realizada na cidade de São Paulo. Nesta oportunidade contou com 3 ótimas atrações internacionais, sendo  duas norueguesas e uma americana. A escandinava veio representada pelo grupo Keep of Kalessin, e por outro grande nome da cena Black Metal, o Gorgoroth, considerado um dos precursores do estilo. Já os Estados Unidos foram representados por uma lenda do Death Metal, o Autopsy. Que com exatos 25 anos de carreira, realizaria sua primeira apresentação no Brasil. O festival contou também com a presença marcante da banda paulista Cauterization.

O relógio marcava 16h05 quando o Carioca Club teve suas portas abertas ao público, que aos poucos foi entrando no recinto para prestigiar a primeira atração do festival o Cautarization, que 25 minutos após a abertura da casa subiu ao palco. O grupo da cidade de Presidente Prudente, localizada a oeste do estado de São Paulo e formado pela poderosa presença feminina de Maysa Rodrigues (Guitarra e Vocal), pelo ótimo baterista Trojillo Jr. e ainda Well Moia no baixo. A banda é relativamente nova, mas vem conquistando com méritos o seu espaço no underground, conseguindo dividir o palco com conhecidos nomes como Nocturnal Depression da França, Krisiun e agora esta excelente participação no Setembro Negro Festival. O trio realizou um bom espetáculo, apresentando ao público composições do EP Males Infestus de 2011, e ainda teve tempo de prestar uma homenagem a saudosa banda de Black Metal sueca Dissection, com a faixa Night’s Blood. As bandas de aberturas sempre sofrem com o pequeno espaço destinado a elas em um evento, mas sem sombras de dúvidas o Cauterization soube muito bem como aproveitar esta oportunidade e mostrou a todos que veio para ficar.

A próxima atração foi à banda norueguesa Keep of Kalessin, que surgiu em meados dos anos 90, como uma grande promessa do Black Metal. O primeiro álbum saiu em 1997 com o titulo de Through times of war e em 2001 apresentaram ao mundo Agnen: A Journey Through the Dark, que em minha opinião são excelentes, trazendo toda a obscuridade e essência do Black Metal em suas composições. Mas a partir daí o grupo mudou e musicalmente sofreu muitas influências, descaracterizando o som original do grupo. No Carioca Club o quarteto realizou um show preciso e muito técnico, executando composições desta fase mais recente, passando por Armada, Ascendent, The Devine Land e kolossus. Em questão de presença de palco a banda é muito boa, ficando o destaque para o bom vocalista Thebon. O restante da banda é formado por Wizziac (Baixo) e por outros dois membros originais Vyl (Bateria) e Obsidian Claw (Guitarra). Com aproximados 50 minutos de show, o Keep of Kalessin encerrou muito bem sua primeira apresentação na terra da garoa.

A terceira participação da noite ficou com uma velha conhecida do festival, a também norueguesa Gorgoroth, que pontualmente às 18h30 compareceu ao palco com uma excelente introdução. Na Seqüência o Gorgoroth trouxe o inferno ao palco do Carioca Club, com a belíssima faixa Bergtrollets Hevn, do segundo trabalho do grupo Anthcrist. As próximas foram Aneuthanasia e Prayer, uma dobradinha do disco Quantos Possunt ad Satanitatem Trahunt de 2009, levando o público ao êxtase. A banda é conhecida por não manter por muito tempo a mesma formação, e foi o que aconteceu duas semanas antes de sua apresentação no Brasil, o líder do Gorgoroth o guitarrista Infernus, acabou demitindo o lendário vocalista Pest, e para cumprir suas obrigações no Brasil convocou um substituto de peso, o vocalista Hoest, ex- Ragnarok e atual Taake. Enormes braceletes com pregos pontiagudos e uma grande cruz invertida no pescoço, fizeram parte do visual de Hoest, que em minha modesta opinião é um dos melhores vocalistas de Black Metal na atualidade, dono de um vocal destruidor e uma presença de palco marcante. Ao lado direito do palco tivemos uma lenda viva do Black Metal, o guitarrista Infernus, que para mim é a alma e espinha dorsal do grupo, criador de poderosos riff e dono de um visual assustador. A bateria ficou no controle de Vyl, que já havia se apresentado momentos antes com sua banda Keep of Kalessin, o mesmo cumpriu jornada dupla na noite, cumprindo suas obrigações com muita destreza. No baixo senti a falta de Frank Watkins ex-Obituary, conhecido no Gorgoroth como Bøddel, em seu lugar esteve o careca Guh Lu. Na outra guitarra a tivemos o brasileiro Fabio Zperandio da banda Ophiolatry.

O grupo seguiu pincelando sucessos de sua discografia como a essencial Katharinas Bortgang, do aclamado disco Pentagram, passando ainda por Revelation Of Doom, Forces of Satan Storms e The Rite of Infernal Invocation. O show estava eletrizante e a galera muito agitada, assim o grupo seguiu apresentando Ødeleggelse og undergang emendada de Blood Stains the Circle seguida de outras duas importantes faixas Destroyer / Incipit Satan que foram muito bem recebidas. Para o final escolherem 3 clássicos absolutos e começaram por Krig, logo depois a empolgante Profetens Apenbaring, que possui um início fabuloso e dona de um belo vocal na pura linha Folk/Viking, e por último Unchain My Heart!!! encerrando de forma magistral a performance de uma das bandas mais satânicas da escola norueguesa de Black Metal.

Após um intervalo de 35 minutos chegou o momento que muitos aguardaram por anos, a lenda Autopsy estaria diante de nós ao vivo e a cores. O sonho se realizou às 20h, quando os veteranos membros do Autopsy tomaram de assalto o palco do Carioca Club. Chris Reifert assumiu sua bateria ao fundo do palco, no meio ficou o talentoso baixista Joe Allen, do lado direito ficou o exímio guitarrista Danny Coralles e do esquerdo o perito na guitarra Eric Cutler, que parecia estar em um estado de transe enquanto uma introdução tomava conta do ambiente, o mesmo se mexia como se estivesse tonto e seus olhos estavam totalmente virados de forma que ficassem brancos, um show a parte e inesquecível. Tudo começou com um clássico indiscutível Charred Remains do disco de estréia Severed Survival, para não deixar o clima esfriar mandaram outros dois hits In the Grip of Winter e Severed Survival deixando os fãs atordoados. A banda estava extremamente entrosada e demonstrando muito vigor, e assim deram continuidade com a soberba Pagan Saviour e proseguiram com Embalmed. A galera não parou de agitar 1 minuto sequer, e sempre que possível alguém gritava o nome de algum clássico, mas a banda segue um protocolo, com o set list montado previamente e não tinha como atender os fãs, a única resposta era despejar o que tinham em mãos, e não era nada desagradável, era simplesmente mais clássicos como a música Dead que faz parte do trabalho Mental Funeral, além de Voices e Slaughterday.

Do último CD Macabre Eternal tivemos Seeds of the Doomed, canção imponente e que não deixa nada a desejar se a compararmos com as antigas composições. Antes de deixarem o palco para o tradicional encore o quarteto mandou uma trinca matadora com Mauled to Death, Gasping for Air e Ridden With Disease. No retorno tocaram a veloz Twisted Mass of Burnt Decay e se despediram com Critical Madness. Foi um show impecável, sem erros e sem reclamações. Com um repertório primoroso o Autospy fez a alegria de todos os presentes no Carioca Club.

E assim foi o grandioso e importante Setembro Negro festival 2012. Ano que vem tem mais, e qual será a surpresa que a Tumba Produções ira nos presentear?

 

Set List Gorgoroth

1.Bergtrollets Hevn
2.Aneuthanasia
3.Prayer
4.Katharinas Bortgang
5.Revelation Of Doom
6.Forces of Satan Storms
7.The Rite of Infernal Invocation
8.Ødeleggelse og undergang / Blood Stains the Circle
9.Destroyer / Incipit Satan
10.Krig
11.Profetens Apenbaring
12.Unchain My Heart!!!

Set List Autopsy

1.Charred Remains
2.In the Grip of Winter
3.Severed Survival
4.Pagan Saviour
5.Embalmed
6.Dead
7.Voices
8.Slaughterday
9.Seeds of the Doomed
10.Mauled to Death
11.Gasping for Air
12.Ridden With Disease
13.Twisted Mass of Burnt Decay
14.Critical Madness



Agradecimentos: Luciano Piantonni da LP METAL PRESS pela atenção e credenciamento.

 


 

 


Pesquisa

Redes Sociais

Newsletter