Decapitated - Blackmore RockBar, São Paulo - 26/05/2012

Resenha e fotos por Leandro Cherutti

A banda DECAPITATED, formada em 1996 na cidade de Krosno (Polônia), possui uma carreira sólida e de muito respeito no cenário underground. Com dezesseis anos de estrada e cinco álbuns de estúdios lançados, o grupo se tornou um dos fortes nomes do Death Metal Polonês e mundial. Em 2007, a banda enfrentou algumas dificuldades devido a um acidente com o ônibus da banda, que se chocou em um caminhão de madeira na Rússia, o que ocasionou no falecimento do baterista Vitek e no afastamento do ex-vocalista Covan. Em 2009 o Decapitated foi reestruturado, e atualmente esta excursionando o mundo na divulgação do excelente CD “Carnival is Forever” lançado em 2011.

Foi em uma noite de temperatura agradável na cidade de São Paulo, que a banda polonesa realizou no último sábado (26), sua inédita apresentação em solo brasileiro. O quarteto formado por Rafa? Piotrowski (Vocal), Kerim “Krimh” Lechner (Bateria), Waclaw “Vogg” Kieltyka (Guitarra) e Konrad Rossa (Baixo) subiu ao palco ao som de uma introdução às 21h, e iniciaram a pancadaria com a faixa “The Knife”, que proporcionou as primeiras rodas de mosh no Blackmore Rock Bar. O vocalista Rafal Piotrowski conseguiu de uma forma simples, transmitir ao público uma energia contagiante, que se refletiu diretamente na pista, não deixando ninguém parado. Na sequencia tivemos “Day 69” do disco Organic Hallucinosis (2006), seguida de uma dobradinha do último trabalho, com as canções “Pest” e United”. O pequeno palco do Blackmore, acomodou em seu lado esquerdo o ótimo guitarrista Vogg, único membro original da banda. No direito o baixista Konrad e ao fundo Krimh e sua bateria branca. Em um show totalmente alucinante, chegou a hora de uma das músicas mais esperadas da noite “Post Organic”, que chegou abalando as estruturas da casa. O espetáculo teve como outros destaques as faixas “Homo Sum”, A View From a Hole” ambas do Carnival is Forever, passando por ”Mother War”, que veio emendada do clássico “Winds of Creation” e por último “Spheres of Madness” do álbum Nihility lançado em 2002.

Apesar de um show extremamente curto, os músicos realizaram uma apresentação matadora. É claro que muitos dos fãs deixaram a casa com aquela sensação de quero mais, 16 anos de espera e um show de 55 minutos, acabou sendo muito pouco pela grandeza do nome Decapitated. Mas no balanço final foi uma ótima noite.

Agradecimentos a Dark Dimensions e ao Costábile Salzano Jr. pela atenção e credenciamento.

Pesquisa

Redes Sociais

Newsletter