Richie Kotzen - Blackmore, São Paulo - 11/03/11

Resenha por Rogério Talarico
Fotos por Bárbara Martins

Após um ano Richie Kotzen retornou ao Brasil para sete shows, iniciando sua tour com um show acústico, talvez como aquecimento para ele, e total diversão para os presentes no Blackmore RockBar, dia 11 de março.

O show totalmente intimista – aproximadamente 300 pessoas – iniciou-se as 23hrs45min, com Kotzen entrando ao palco sozinho, recebendo muitos gritos e assobios. Ele apenas entrou no palco, sentou e iniciou sua primeira música, I Would, sem falar nada. Após, seguiu-se Rust com Kotzen ainda sem comunicação entre as músicas, apenas cantando. Executando suas músicas com muita técnica e profissionalismo, pediu uma toalha pelo calor demasiado que ali estava, anunciando Don´t Ask, continuando com o  público acompanhando  suas letras e as mulheres presentes gritando seu nome, chamando a atenção do vocalista que prosseguiu com Where Did Our Love Go encerrando com sua primeira palavra: ‘’Thank You’’.
Mais um de seus singles foi executado, What Is na qual agradeceu e sorriu, chamando Daniel Pearson, baixista de sua banda e Mike Bennet seu baterista/percussionista, que receberam todo o calor do público com muitas palmas.

Until You Suffer Some (Fire and Ice) começou com o público cantando e parando por um momento para o belo solo de baixolão, deixando todos boquiabertos. Change, High e Doing What The Evil Says To Do foram as músicas que deram sequência, tocadas com o resto de sua banda, com destaque para seu percussionista, que tocava sua ‘’caixa’’ totalmente alegre e agitado, animação esta que deveria ser passada por Kotzen, que continuava calado, fato este que não estragou o show pelo profissionalismo exercido e qualidade do som executado por ele, mas, para um show acústico, poderia haver comunicação maior com seu público.

Talvez a música mais conhecida de sua carreira, You Can´t Save Me começou, com todos cantando e emocionados, com Ritchie sorrindo e parando a música para ouvir o público dando abertura para 2 músicas de sua época no Mr. Big, Angry Boy com Daniel Pearson largando seu baixolão e assumindo o baixo elétrico e Shine, relembrando os anos 80. Pulando drasticamente de época, para o século XXI, com Bad Things com um belo solo de violão, lembrando música country, seguidas por Larger Than Life e Best of Times saindo para o famoso Bis.

Com todo o público implorando sua volta, Richie deu início a uma música cover, Fooled Around and Feel in Love do Elvin Bishop, que deixou algumas pessoas perdidas por não conhecer, não perdendo toda a magia desta noite tocando mais um de seus hits, Go faster, saindo novamente do palco, sem mais palavras. Após alguns minutos, retornou ao palco surpreendendo a todos com um Bis do Bis, Remember, com Daniel e Mike Bennet fazendo um backing vocal, encerrando saindo do palco, falando apenas ‘Thank You’, terminando o show sem mais agradecimentos e palavras, não estragando a noite pela perfeição na execução de suas músicas e agitação de todo o público nesta noite de garoa em São Paulo.

Set List:

1 . I Would
2.  Rust
3. Don´t Ask
4. Where Did love Go
5. What Is
6. Until You Suffer Some (Fire and Ice)
7. Change
8. High
9. Doing What The Evil Says To Do
10. A Love Divine
11. Fooled Again
12. You Can´t Save Me
13. Angry Boy
14. Shine
15. Everything Good
16. Bad Things
17. Larger Than Life
18. Best of Times
19. Fooled Around and Feel in Love (Elvin Bishop Cover)
20. Go Faster
21. Remember

Agradecimentos a Free Pass e Heloísa Vidal.

Pesquisa

Redes Sociais

Newsletter