Slash feat Myles Kennedy and The Conspirators - Pepsi OnStage, Porto Alegre – 20/03/2015

Por Rogério Talarico
Fotos por Bárbara Martins

Para conferir mais fotos deste show, clique aqui.

Slash é um guitarrista icônico que dispensa apresentações. Acompanhado pelo incrível vocalista Myles Kennedy (Alter Bridge) e pelos carismáticos e talentosos músicos Todd ‘DAMMIT’ Kerns no baixo, Brent Fitz na bateria e Frank Sidoris na guitarra base, a banda voltou para o país após cerca de 2 anos e meio de sua última visita e como fez em sua última passagem, marcou presença também em Porto Alegre, no já conhecido Pepsi OnStage.

A banda não veio sozinha não, trouxe consigo para suas apresentações no Brasil – com exceção do show de Brasília – o também talentoso guitarrista Gilby Clarke. Ele que foi companheiro de Slash no Guns N’Roses durante os anos de 1991 a 1993 durante a turnê do disco Use Your Illusion I e II, veio junto com o homem da cartola presenteando todos os fãs com uma overdose de Hard Rock.

Após a animadora discotecagem realizada pelo Ricardinho Finocchiaro – produtor e DJ bastante conhecido na cidade - Gilby Clarke veio ao Brasil acompanhado pela banda argentina The Coverheads e, às 20h, sem mais delongas a banda subiu ao palco ao som de seu novo single, “Wasn't Yesterday Great” que apesar de rápida é uma calorosa canção. O guitarrista discorreu por sua carreira e tocou músicas como “Motorcycle Cowboys” de sua antiga banda Kill for Thrills e também “Monkey Chow” de sua participação na antiga banda do Homem da Cartola, Slash's Snakepit.

Clarke ainda tocou algumas músicas do The Rolling Stones em que ele tocou por um tempo na década de 90, recebendo inclusive sua filha, a guitarrista Frankie Clarke para a execução de “Dead Flowers”. Com dois grandes hits de sua carreira, “Cure Me... Or Kill Me...” e “Tihuana Jail” ambas do álbum Pawnshop Guitars (1994), o guitarrista e sua banda de apoio se despediu do público gaúcho.

Com um instrumental muito similar a uma música circense, às 20h25min, o primeiro a subir no palco foi o baterista Brent Fitz. Slash e banda vieram logo em seguida e depois de cumprimentar o público, iniciaram a agitada “You’re a Lie”, primeiro single do seu segundo álbum intitulado ‘Apocalyptic Love’ (2012) e não se via uma única pessoa na plateia parada. Em “Nightrain” era possível até mesmo sentir o chão da casa de shows tremer, tamanha a euforia do público.

Myles Kennedy é um tremendo vocalista: canta extremamente bem, se comunica e diverte seu público, interage com a banda e não fica parado no palco, se tornando o centro das atenções facilmente. Porém ele respeita o idealizador da banda com maestria, em cada solo de guitarra de Slash, ele se retrai para a parte traseira do palco deixando Slash brilhar e em algumas vezes até deixa de cantar palavras de alguma canção como foi feito na estonteante “Wicked Stone”, primeira canção tocada de seu álbum em divulgação, “World on Fire”, lançado em 2014.

Depois da nova “Too Far Gone”, a viciante “Mr. Brownstone”, música de sua fase no Guns N’Roses, Myles Kennedy anunciou a participação de Gilby no palco, fazendo os fãs mais antigos da banda enlouquecerem! Gilby e Slash interagiram pouco mas deu uma ótima amostra do que era a dupla no palco no início dos anos 90. Após sua saída, “You Could Be Mine” também foi tocada com Myles deixando o palco para que o excelente baixista e também vocalista Todd assumisse os vocais cantando “Doctor Alibi” e “Welcome to the Jungle”. Assim como Myles, ‘Dammit’ é também um incrível músico no palco, que esbanja técnica, simpatia e animação e não mede esforços para ver seu público contente.

Com a volta de Myles ao palco, outras músicas do novo álbum foram tocadas, entre elas as boas “The Dissident”, a compassada “Beneath the Savage Sun”, a tocante “Bent to Fly” e a explosiva “World on Fire”, todas muito bem recebidas pelo público, que cantou e até participou das músicas juntamente com a banda. Portando uma guitarra de 2 braços, Slash tomou a frente do palco tocou os primeiros acordes de “Anastasia” mas foi com a costumeira “Sweet Child O' Mine” que o público delirou e voltou a pular, cantar e gritar como se o show tivesse apenas começado.

De sua fase com o Velvet Revolver, apenas “Slither” foi tocada e divertiu bastante o público antes da banda agradecer e deixar o palco. Em seu retorno, Slash agradeceu os fãs que lotaram a casa de shows e iniciou “Paradise City” que contou com Myles descendo do palco para falar com o público que estava mais próximo e também com a costumeira chuva de papel picado infelizmente indicando o final deste incrível show, de uma banda que definitivamente não se resume somente em seu guitarrista.

Slash carrega consigo toda uma carreira de sucesso e também o principal nome da banda, mas nesta noite era visível que não existia um superior ali no palco, mostrando que essa banda está consolidada e que cada um de seus integrantes são fundamentais não somente para o sucesso da banda mas também para tornar esta apresentação numa noite inesquecível!


Set List Gilby Clarke:

Wasn't Yesterday Great
Under the Gun
Motorcycle Cowboys (Kill for Thrills)
Black
It's Only Rock 'n' Roll (But I Like It) (The Rolling Stones)
Knockin' on Heaven's Door (Bob Dylan)
Monkey Chow (Slash's Snakepit)
Dead Flowers (The Rolling Stones)
Cure Me... Or Kill Me...
Tijuana Jail


Set List Slash:

You're a Lie
Nightrain (Guns N’ Roses cover)
Standing in the Sun
Ghost
Back from Cali
Wicked Stone
Too Far Gone
Mr. Brownstone (Guns N’ Roses cover)
You Could Be Mine (Guns N’ Roses cover)
Doctor Alibi
Welcome to the Jungle (Guns N’ Roses cover)
The Dissident
Beneath the Savage Sun
Rocket Queen (Guns N’ Roses cover)
Bent to Fly
World on Fire
Anastasia
Sweet Child O' Mine (Guns N’ Roses cover)
Slither (Velvet Revolver cover)

Encore:
Paradise City  (Guns N’ Roses cover)

Agradecimentos a Heloísa Vidal da Brasil Music Press e a Free Pass Entretenimento pela atenção e credenciamento.

Pesquisa

Redes Sociais

Newsletter