Ghost - HSBC Brasil, São Paulo - 05/09/2014

Por: Rogério Talarico
Fotos por Bárbara Martins

São Paulo recebeu na primeira Sexta-Feira de Setembro os suecos do Ghost (nomeado Ghost B.C. nos Estados Unidos). Conhecido por suas fortes letras, presença de palco impar e teatralidade, Papa Emeritus II acompanhado pelos Nameless Ghouls – como são chamados os músicos que compõem a banda – retornou pela 2ª vez a São Paulo após um ano para um ótimo show no HSBC Brasil.

Entebrecendo ainda mais a fria noite em São Paulo, a banda pontualmente às 22h iniciou sua apresentação ao som de “Masked Ball”, trilha sonora composta por Jocelyn Pook e tocada no filme “De Olhos bem Fechados”, já dando um clima de uma missa perversa ao espetáculo. Ao abrir as cortinas, o palco estava decorado com um pano desenhado com vitral remetendo igrejas e os primeiros vistos foram os Nameless que se não fossem seus instrumentos e os símbolos de alquimia pintados em suas roupas poderiam ser facilmente confundidos entre si, tamanha descrição na caracterização de seus figurinos. Empunhando seu cajado, Papa Emeritus II – ou Tobias Forge – entrou ao palco caminhando ao som da épica “Infestissumam”. Em “Per Aspera ad Inferi”, Papa começou a cantar e após ouvir seu público ovacionando-o, entoou seu cajado como se cumprimentasse os fiéis.

O single “Ritual” levou a casa de shows abaixo! O público continuou fervoroso pelas canções que se seguiram como “Prime Mover” e seus bons riffs, “Satan Prayer” e “Secular Haze”. Com um turíbulo na mão, “Con Clavi Con Dio” iniciou como se o Papa expulsasse todo o bem presente no local do show. “Elizabeth” que fala da história de Elizabeth Bathory que se banhava com sangue de virgens para conservar sua juventude também foi tocada e não menos ovacionada. “Body and Blood” começou com Papa discursando e chamando duas mulheres ao palco caracterizadas como freiras que desceram a pista e distribuíram hóstias e vinho ao público, novamente se referindo a práticas eucarísticas.

A marcante “Death Kneel” e seu marcante refrão também foi tocada antes da homenagem aos Beatles com “Here Comes the Sun” em uma versão bem mais calma e sombria do que a dos ingleses, versão muito apreciada aos fieis da banda sueca mas pouco admirada a quem não conhece e entende a banda. Ainda foi tocada nesta noite “Stand by Him”, a ótima e instrumental “Genesis” que inicia calma e se torna hipnotizante em seu êxtase, o grande hit “Year Zero” e a mais uma música cover “If You Have Ghosts”, original de Roky Erickson com o público em coro cantando a canção.

Voltando ao palco após um enorme coro do público clamando a canção “Ghuleh/Zombie Queen”, prontamente a banda atendeu seus fieis. Por diversas vezes Papa discursou durante o show e até mesmo seu inglês era entoado como se um velho senhor italiano estivesse falando inglês. Em um último discurso, Emeritus falou que a última canção, “Monstrance Clock” falava sobre sexo e convidou a todos para ‘ter um orgasmo juntamente a ele’ e, pela agitação do público certamente  foi um show – aqui me desculpo pela liberdade literária – orgasmático. A banda que dá um show no palco saiu sem se despedir, apenas recebendo um aceno de Papa, como se dissesse ‘Até breve!’. Sem dúvidas um dos shows mais exóticos, uma grande experiência para o publico que pode apreciar a apresentação.

Set-List

1. Intro: Masked Ball (Jocelyn Pook song)
2. Infestissumam
3. Per Aspera ad Inferi
4. Ritual
5. Prime Mover
6. Satan Prayer
7. Secular Haze
8. Con Clavi Con Dio
9. Elizabeth
10. Body and Blood
11. Death Knell
12. Here Comes the Sun (The Beatles cover)
13. Stand by Him
14. Genesis
15. Year Zero
16. If You Have Ghosts (Roky Erickson cover)

Encore:
17. Ghuleh/Zombie Queen
18. Monstrance Clock

Agradecimentos à Cristiane do HSBC Brasil pela atenção e credenciamento.

Pesquisa

Redes Sociais

Newsletter