SP Trip - Bon Jovi e The Kills, Allianz Parque - 23/09/2017

Por Rogério Talarico
Fotos gentilmente cedidas por Camila Cara

Em Abril deste ano, um novo festival nasceu e foi anunciado com o nome de “São Paulo Trip”. A promessa era trazer grandes nomes do rock clássico e contemporâneo para a cidade de São Paulo, isso tudo inspirado no livro “On the Road – Pé na Estrada” de Jack Kerouac, lançado em 1957.

A Mercury Concerts, produtora responsável pelo evento cumpriu com a promessa e trouxe a terra da garoa bandas como The Who, Bon Jovi, Aerosmith e Guns N’Roses além de muitas outras incríveis bandas, separando-as em 4 datas. A MetalConcerts.net esteve presente e contará como foi cada um dos dias.

O segundo dia do “SP Trip” foi marcado pela lotacão máxima do estádio – vale a pena frisar que foi o único dia que teve seus ingressos esgotados – e foi capiteneado pelo Bon Jovi com a abertura dos índies do The Kills.

Bon Jovi, renomado cantor americano que ficou mudialmente conhecido por sua beleza e seus hits nos anos 80, retornou ao país para uma série de 3 shows, sendo o último na cidade de São Paulo. Divulgando seu último disco “This House Is Not for Sale” (2016), Jovi abriu sua apresentação com a ótima música de mesmo nome do álbum. Assim como todas as atrações principais do “SP Trip”, Bon também é um ‘hitmaker’ e apresentou o melhor dos seus lançamentos e é claro, suas canções popularmente conhecidas por ‘mela cueca’ como “You Give Love a Bad Name” e “In These Arms”. Mas Bon Jovi também mostrou seu peso em “We Weren't Born to Follow” e “Lay Your Hands On Me”, porém em versões um pouco mais lentas do que as gravadas nos discos, talvez mostrando um leve desgaste físico e vocal.

Um momento marcante do show foi na execução da música “Bed of Roses” em que Jovi chamou uma fã ao palco e beijou-a, além de dançar com ela durante toda a canção, deixando-a náo somente ela como as outras mulheres que estavam alí presentes boquiabertas. Saindo do climão ‘romantico’, Bon Jovi botou fogo em sua apresentação com mais um de seus hits, “It’s my Life”, do álbum “Crush” (2000). Outro fato importante a citar é a interação entre o frontman e seus companheiros de banda, em todo momento ele se comunicava com o guitarrista Phil X, o tecladista David Bryan e o baterista Tico Torres.

Na reta final do show ainda rolou “Have a Nice Day”, “Keep the Faith” e a clássica “Bad Medicine”, com a banda se retirando do palco, após o vocalista apresentar um a um. No bis, contamos com a bela “Always” e é claro o ‘grand finale’ “Livin' on a Prayer”, que foi cantada a plenos pulmões por todo o público. Assim como feito pelo The Who no primeiro dia, Jovi supreendeu a todos e voltou mais uma vez ao palco para executar “These Days”, um presentaço para os fãs paulistas pois a música não foi tocada nas outras 2 datas do cantor pelo país. É inegável que o Bon não possui mais o alcance vocal de outrora mas é incrivel ver como ele e sua banda dão o máximo de sí no palco. Bon Jovi não é apenas um galã da música e um hitmaker, é um showman de primeira.

A abertura da noite ficou a cargo dos norte americanos do The Kills. Formada pela vocalista e guitarrista Alisson “VV” Mosshart e pelo baterista e guitarrista Jamie “Hotel” Hince, a banda teve cerca de 40 minutos para apresentar músicas de sua carreira e também de seu último álbum “Ash & Ice”, lançado em 2016. O estilo das 2 bandas deste dia destoou bastante mas sem dúvidas a banda formada nos anos 2000 conseguiu cativar e aquecer o público, não somente pela qualidade de seu som mas também pela calorosa apresentação de Alisson, que se entrega de corpo e alma no palco. Destaque para a execução de “Baby Says” e para a ultima canção da apresentação, “Monkey 23”.

Agradecimentos a Denise e Simone Catto da Catto Comunicação pela atenção e credenciamento.

Set List The Kills:

Heart of a Dog
Kissy Kissy
Hard Habit to Break
Baby Says
Echo Home
Pots and Pans
Monkey 23

Set List Bon Jovi:

This House Is Not for Sale
Raise Your Hands
Knockout
You Give Love a Bad Name
Born to Be My Baby
Lost Highway
We Weren't Born to Follow
Lay Your Hands On Me
In These Arms
New Year's Day
(You Want to) Make a Memory
Bed of Roses
It's My Life
Someday I'll Be Saturday Night
Wanted Dead or Alive
I'll Sleep When I'm Dead
Have a Nice Day
Keep the Faith
Bad Medicine

Bis:
Always
Livin' on a Prayer

Bis 2:
These Days

 

SP Trip - The Who, The Cult e Alter Bridge, Allianz Parque - 21/09/2017

Por Rogério Talarico
Fotos gentilmente cedidas por Camila Cara

Em Abril deste ano, um novo festival nasceu e foi anunciado com o nome de “São Paulo Trip”. A promessa era trazer grandes nomes do rock clássico e contemporâneo para a cidade de São Paulo, isso tudo inspirado no livro “On the Road – Pé na Estrada” de Jack Kerouac, lançado em 1957.

A Mercury Concerts, produtora responsável pelo evento cumpriu com a promessa e trouxe a terra da garoa bandas como The Who, Bon Jovi, Aerosmith e Guns N’Roses além de muitas outras incríveis bandas, separando-as em 4 datas. A MetalConcerts.net esteve presente e contará como foi cada um dos dias.

Marcado para uma quinta-feira, o primeiro dia do “SP Trip” contou com as bandas The Who, Alter Bridge e The Cult, sendo as duas primeiras inéditas no país. Com a apresentação dos americanos do Alter Bridge marcada para às 18h15min de um dia de semana, com a costumeira caoticidade paulistana neste horário, muitas pessoas ainda estavam chegando na Allianz Parque. Quem alí estava com certeza estava exclusivamente para ver os americanos, na abertura do festival.

Com um palco decorado contendo ao fundo uma estrela com símbolos representando cada um dos cinco discos, a banda formada por Myles Kennedy nos vocais e guitarra, Brian Marshall no baixo, Mark Tremonti nos vocais de apoio e guitarra e Scott Phillips na bateria, sendo os 3 últimos membros fundadores da banda Creed, o quarteto iniciou seu show com a calorosa “Come To Life”. Continuando seu show com a potente “Addicted to Pain”, Myles que é um frontman incrível soltou um “Iae Galera!” no melhor e mais claro português, e contou que estava feliz de finalmente se apresentar no Brasil, após 13 anos de carreira.

É claro que não focaram sua apresentação em seu mais recente lançamento e do álbum “The Last Hero” lançado em Outubro do ano passado apenas foi tocada a pesadíssima “Crows on a Wire”, e os integrantes deram ênfase em canções de toda sua carreira, como quem quisesse mostrar seu cartão de visita e dar ‘boas vindas’ para quem não os conhecia. Se Myles Kennedy é um vocalista e guitarrista muito versátil, Mark Tremonti não fica atrás e em “Waters Rising” mostrou que é um vocalista muito competente também, pois canta esta música com muita paixão, além de uma interpretação única.

Após a pesada “Isolation”, primeiro single  do álbum “AB III”, Myles iniciou os primeiros acordes da cadenciada e longa “Blackbird”, em que Myles e Tremonti interagiam entre si fazendo um solo incrível. Ainda foram tocadas a comercial “Open Your Eyes” que teve um ótimo coro do público no refrão e também a boa “Metalingus” que Myles finalmente largou sua guitarra para interagir com os presentes. Como sempre fazem, a banda fechou sua apresentação com “Rise Today” após 1h de uma apresentação que foi muito bem recepcionada.

As 19h45min os ingleses do The Cult subiram ao palco, já com um público mais representativo dentro do belo estádio. Ian Astbury nos vocais, Billy Duffy na guitarra, Grant Fitzpatrick no baixo, Damon Fox nos teclados e o exímio baterista John Tempesta subiram ao palco ao som de “Wild Flower”. Por ser uma banda clássica, o The Cult possui vários hits e resolveram tocar todos nesta noite. “Rain”, a pesada “Dark Energy”, e “Peace Dog” fizeram bastante barulho mas não o suficiente para alegrar o exigente vocalista, que cobrou mais de uma vez mais ânimo por parte do público, reclamando até dos celulares levantados.

Ian não somente corria de um lado pro outro, como jogava ao seus fãs as pandeirolas que tocava durante o show. O show já chegava próximo ao seu final quando a banda tocou “Sweet Soul Sister”, primeiro hit que levou o público ao delírio! “She Sells Sanctuary” contou com uma marcante interpretação do ótimo Billy Duffy, que tocava sua guitarra com muito ânimo. O show encerrou após 1h10min com “Love Removal Machine” do clássico álbum “Electric”(1987). Após esta data o grupo seguiu para Brasilia, para seu último show desta turnê, no Brasil.

As 21h30min, pela primeira vez após 50 anos de carreira, os britânicos The Who fez seu primeiro show em solo brasileiro. Com apenas 2 integrantes de sua formação original – o vocalista Roger Daltrey e o guitarrista Pete Townshend – a banda veio acompanhada por Zak Starkey na bateria, Pino Palladino no baixo, Simon Townshend na guitarra e vocais de apoio, John Coury e Loren Gold nos teclados, J. Greg Miller e Reggie Grisham nos metais veio apresentar toda sua história e obra para o público paulistano.

Assim como o The Cult, The Who trouxe uma bagagem recheada de hits e logo na primeira canção “I Can't Explain” já mostrou para que veio. Se Pete é um gênio do rock clássico e continua encantando no palco, Roger mostrou uma potência vocal e muita animação logo no início do show. Músicas que marcaram a vida dos mais velhos como “The Seeker”, “My Generation”, “Behind Blue Eyes”, e “Pinball Wizard” foram tocadas como se fosse playback, tamanha a perfeição na execução destas canções e certamente deixaram boquiabertos o público presente. A canção mais recente do The Who que foi executada foi “Eminence Front” do álbuim “It`s Hard” (1982), ficando de fora as canções do último álbum “Endless Wire”, lançado em 2006. Importante frisar a atuação na bateria do monstro Zak Starkley, que já veio ao Brasil acompanhando o Hollywood Vampires, projeto de Alice Cooper em sua apresentação no Rock in Rio de 2015 e é filho do lendário Ringo Starr (ex-Beatles).

A banda que normalmente encerra sua apresentação com “Won't Get Fooled Again”, retornou ao palco 2 vezes após a última música para mais 2 canções: “5:15” e “Substitute”, presenteando o público paulistano e mostrando que ainda possuem muito gás e rock n’roll em suas veias. Que retornem logo para mais e mais shows.

Agradecimentos a Denise e Simone Catto da Catto Comunicação pela atenção e credenciamento.

Set List Alter Bridge:

Come to Life
Addicted to Pain
Ghost of Days Gone By
Cry of Achilles
Crows on a Wire
Waters Rising
Isolation
Blackbird
Open Your Eyes
Metalingus
Rise Today

Set List The Cut:

Wild Flower
Rain
Dark Energy
Peace Dog
Lil' Devil
Deeply Ordered Chaos
The Phoenix
Rise
Sweet Soul Sister
She Sells Sanctuary
Fire Woman
Love Removal Machine

Set List The Who:

I Can't Explain
The Seeker
Who Are You
The Kids Are Alright
I Can See for Miles
My Generation(With "Cry If You Want" Snippet)
Bargain
Behind Blue Eyes
Join Together
You Better You Bet
I'm One
The Rock
Love, Reign O'er Me
Eminence Front
Amazing Journey
Sparks
Pinball Wizard
See Me, Feel Me
Baba O'Riley
Won't Get Fooled Again

Bis:

5:15
Substitute

 

Sons of Apollo divulga videoclipe de “Coming Home”

O supergrupo Sons of Apollo acaba de divulgar o primeiro videoclipe do álbum de estreia “Psychotic Symphony”, que será lançado no Brasil pela gravadora Hellion Records no final de outubro. A banda é formada por grandes músicos como Mike Portnoy (bateria) e Derek Sherinian (teclados), Ron “Bumblefoot” Thal (guitarras), Billy Sheehan (baixo) e Jeff Scott Soto (vocal).

“Psychotic Symphony” foi produzido por Mike Portnoy e Derek Sherinian, dupla conhecida como “The Del Fuvio Brothers”, que é o apelido dado a eles durante os anos de Dream Theater. “Mike e eu trabalhamos em um ritmo implacável no estúdio”, conta Sherinian. “A música é moderna, mas nós temos uma velha alma juvenil. O que é único sobre Sons of Apollo é que nós temos a verdadeiro magia do rock junto com o virtuosismo”, finaliza o tecladista.

Confira o videoclipe de “Coming Home”https://youtu.be/J_1N8kVYfkE

Tracklist de “Psychotic Symphony”:

1. God of The Sun
2. Coming Home
3. Signs of the Time
4. Labyrinth
5. Alive
6. Lost In Oblivion
7. Figaro’s Whore
8. Divine Addiction
9. Opus Maximus

Lembrando que Mike Portnoy, ex-baterista do Dream Theater, se apresentará no Brasil dia 21 de outubro, às 19h, no Carioca Club, em São Paulo, tocando músicas de sua ex-banda após muitos anos. O evento é promovido pela Overload, que recentemente trouxe a banda Animals As Leaders para o Brasil, os gigantes do progressivo Opeth, entre muitas outras.

Para mais informações sobre o show do Mike Portnoy’s Shattered Fortress, clique aqui.

Fonte: TRM Press

 

19/09/2017 Pet Shop Boys - Espaço das Américas, São Paulo/SP

Esta semana o PET SHOP BOYS desembarca no Brasil com a turnê do elogiado álbum Super. O duo, que se apresentará em cinco cidades brasileiras, chega a São Paulo no dia 19 de setembro (terça-feira) para única apresentação no Espaço das Américas. Os ingressos estão à venda pelo site www.ingressorapido.com.br e podem ser parcelados em até 10 vezes sem juros.

Desde os anos 80, o PET SHOP BOYS criou alguns dos maiores hits da música pop mundial, como “It´s a Sin”, “Domino Dancing” “West and Girls”. Também tiveram grande sucesso com a regravação de “Always On My Mind”, de Elvis Presley, e “Go West”, do Village People. Em mais de 25 anos de carreira, Neil Tennant e Chris Lowe colaboraram com diversos artistas de sucesso, como Madonna, U2, Liza Minelli e Lady Gaga. Em 2016, lançaram o álbum Super e iniciaram uma turnê que já passou pela Alemanha, Holanda, Canadá e Estados Unidos, sempre com ingressos esgotados.

PET SHOP BOYS
Depois do enorme sucesso da The Super Tour nos Estados Unidos, Canadá, Holanda e Dinamarca, o Pet Shop Boys anuncia as datas para shows na Alemanha e América Latina. No repertório os maiores sucessos da carreira e músicas do álbum Super. 

A cenografia da The Super Tour foi criada pelo designer Es Devlin e o coreógrafo Lynne Page. Os arranjos são de Stuart Price, que produziu o álbum Super. Os shows no Royal Opera House, em Londres, tiveram uma temporada de grande sucesso com ingressos esgotados. “Uma experiência viva, cheia de efeitos visuais e lasers espetaculares” segundo o jornal The Independent. “Um show envolvente que engloba a cultura dos clubes, teatro, cinema, a sátira política com grandes efeitos de laser”, escreveu o Dayly Telegraph.

Há mais de 25 anos, o Pet Shop Boys é considerado um dos mais inovadores artistas pop ao incorporar elementos modernos de multimedia e teatro em suas produções. O duo já trabalhou em parceria com nomes, como Derek Jarman, Zaha Hadid e Sam Taylor-Johnson.

O álbum Super entrou em terceiro lugar nas paradas do Reino Unido e da Alemanha e já é o décimo sexto álbum no Top Ten do Reino Unido. O primeiro single "The Pop Kids" alcançou o #1 Dance Club na parada da Billboard e o Pet Shop Boys são o artista masculino mais bem sucedido dos últimos tempos.

Mais informações: www.petshopboys.com

PayPal inova e realiza pré-venda inclusiva
Diferentemente de outras pré-vendas, que tendem a ser exclusivas para os clientes da empresa patrocinadora, o PayPal reforça seu compromisso como carteira eletrônica inclusiva para todas as “cores e bandeiras” – todo mundo pode criar uma conta, em qualquer momento, sem nenhum custo, basta ter um cartão de crédito válido. Assista ao vídeo <https://www.youtube.com/watch?v=dlSU9HrtOe4&feature=youtu.be e conheça mais sobre este conceito de inclusão do PayPal para as pré-vendas.
Alinhados à característica inclusiva do PayPal, os organizadores dos eventos explicam que, dependendo da procura, os ingressos disponíveis online podem esgotar-se durante a pré-venda. Portanto, a recomendação é de que os fãs certifiquem-se de que suas contas do PayPal e da Eventim (http://www.eventim.com.br/) em Brasília e Ingresso Rápido (http://ingressorapido.com.br ) em São Paulo estão atualizadas antes do início das vendas e não esperem o fim da pré-venda para comprarem seus ingressos pela internet. 

Os fãs interessados em adquirir ingressos que ainda não têm conta PayPal podem criar gratuitamente a sua antes ou até mesmo no momento da compra de maneira prática, rápida e segura. Uma vez criada a conta PayPal, a compra pode ser feita apenas com login e senha e o usuário não precisará mais digitar os dados do cartão de crédito.

As informações de como criar uma conta PayPal, resgatar senha ou atualizar a forma de pagamento de uma conta já existente estão disponíveis na página www.paypalrocks.com.br, assim como uma lista de perguntas frequentes e dicas. 

Durante a pré-venda, os canais de atendimento ao cliente do PayPal estarão à disposição para atender dúvidas dos fãs:

Central de Atendimento ao Cliente PayPal: 0800-0474482 (disponível 24 horas por dia, 7 dias por semana) e redes sociais Twitter PayPal (https://twitter.com/paypal_br) e Facebook PayPal (https://www.facebook.com/PayPalBrasil/?fref=ts ).

Conheça e acesse: www.paypal.com/stories/br

SERVIÇO
SÃO PAULO
Data:
19/09/2017 (terça-feira) 
Local: Espaço das Américas
Endereço: Rua Tagipuru, 795 – Barra Funda
Horário: 22h
Abertura da casa: 19h30
Classificação Etária: 18 anos. Menores de 18 anos podem entrar acompanhados dos pais ou responsável maior de idade.

Ponto de venda sem taxa de conveniência:
A partir do dia 26 de Maio (sexta-feira) nas bilheterias da Espaço das Américas a partir das 13h00

Pontos de vendas sujeitos as taxas de conveniência: www.ingressorapido.com.br
Os ingressos podem ser parcelados em até 10X no cartão de crédito.

Ingressos
Setor
Inteira Meia-Entrada
Pista Premium          R$440,00                   R$220,00
Pista                        R$240,00                   R$120,00
Mezanino                 R$450,00                   R$225,00

 

Marilyn Manson lançará 10º LP dia 06 de Outubro

Marilyn Manson confirma a data de 6 de Outubro para o lançamento de Heaven Upside Down. Novo single “WE KNOW WHERE YOU FUCKING LIVE” passeia pelo sombrio e frenético território que fez de Manson a figura divina que é para tantos. As dez faixas de Heaven Upside Down foram gravadas em Los Angeles e criam uma atmosfera cinematográfica que retorna à ferocidade de seus maiores álbuns, como Portrait of an American Family eHoly Wood. No novo álbum, ele se reúne com o produtor e compositor de trilhas sonoras Tyler Bates, após a épica colaboração em seu aclamado álbum de 2015, The Pale Emperor.

Zane Lowe fez o lançamento mundial hoje no Beats1. Ouça aqui: http://found.ee/MM_Beats1-r

Temas de violência, sexo, política e romance passam por Heaven Upside Down. Manson pede aos fãs que prometam brutalmente sua devoção em “KILL4ME” e mergulha por diferentes gêneros e batidas na faixa “SAY10”, onde proclama “eu sou uma lenda, não uma fábula”. 

A música sensacionalista e a arte que rejeita valores conservadores de Manson criaram um ícone que infiltrou a moda, a televisão, o cinema e a música, e deixou sua marca por toda cultura moderna. Em uma carreira de 20 anos, Manson ainda é centro de controvérsias, e sua ostentação e devassidão continuam perfeitamente intactas. 

Em 27 de Setembro Marylin Manson inicia sua turnê mundial.

TRACKLIST DE HEAVEN UPSIDE DOWN:
1. Revelation #12 
2. Tattooed In Reverse
3. WE KNOW WHERE YOU FUCKING LIVE
4. SAY10
5. KILL4ME
6. Saturnalia
7. JE$U$ CRI$I$
8. Blood Honey
9. Heaven Upside Down
10. Threats of Romance


 

Pesquisa

Redes Sociais

Shows do mês:


 

Newsletter