Anathema Carioca Club, São Paulo - 12/08/2017

Por Rogério Talarico

Com o lançamento do álbum “The Optmist” em Junho deste ano, é claro que os ingleses do Anathema passariam pelo Brasil e assim o fizeram no último dia 12 de Agosto. Com o show começando às 19h, os 3 irmãos Vincent Cavanagh nos vocais, Daniel Cavanagh na guitarra, Jamie Cavanagh no baixo, John Douglas na bateria, Lee Douglas no vocal feminino e o multi instrumentista Daniel Cardoso nos teclados, entraram no palco ao som de “San Francisco” ecoando pelos amplificadores do Carioca Club.

Na introdução de “Untouchable Part 1”, Vincent distribuiu águas e cervejas ao seus fãs que se aglomeravam enfrente ao palco. Após, como costumeiramente fazem, emendou a execução de “Untouchable Part 2”,  levando o público ao delírio.

O grupo fez história mesclando seu som peculiar ao Doom Metal, porém mudou bastante seu estilo musical, fato este comprovado nas músicas de seu recente lançamento que foram executadas nesta noite, como a eletrônica “Endless Ways” em que Lee executou com perfeição suas linhas vocais deixando todos boquiabertos,  e a homônima  e calma “The Optimist”. Ainda mais 2 canções do novo álbum foram executadas mais para o final do show, como “Can’t Let Go” e seu primeiro – e ótimo – single, a faixa “Springfield”.

A banda mostrou que estava em perfeita sintonia e pura felicidade. Além de constantes brincadeiras e muito sorriso entre os integrantes, entre a pausa de uma das canções, Vincent apareceu com uma caixa de morangos em mãos e começou a jogar ao público, com as palavras “É isso que você paga, quando vem ao show do Anathema: você bebe cervejas, come morangos e ainda ouve uma boa música”, dando um ar totalmente descontraído ao show. Antes de se retirar do palco, o grupo ainda executou as boas “Universal” e “Closer”.

No primeiro retorno, tocaram a já citada “Springfield”, além das ótimas “A Natural Disaster” e “Distant Satellites”, com Vincent tocando uma caixa de bateria à frente do palco e, mesmo com problemas técnicos, foi um momento marcante na apresentação devido sua notável expressividade.

Em suas outras últimas passagens pelo país (2013 e 2015), a banda havia focado suas apresentações em músicas de recentes lançamentos. Porém, na reta final da apresentação, presentearam o público com canções dos álbuns “Judgement” (1999) como “One Last Goodbye” que foi cantada pelo Daniel e também “Lost Control”, “Destiny” e “Shroud of False”, contidas no álbum “Alternative 4”, lançado em 1998. Encerraram a apresentação após 1h40min com a habitual ”Fragile Dreams”.

Mesmo tendo mudado seu estilo musical inicial, a banda que possui muita sinergia no palco soube balancear sua apresentação e percorreu por músicas de toda sua carreira, mostrando perfeição nas execuções de faixas antigas e novas, deixando contente cada fã ali presente.

Set List Anathema:

Untouchable, Part 1
Untouchable, Part 2
Endless Ways
The Optimist
Deep
Pitiless
Forgotten Hopes
Destiny Is Dead
Dreaming Light
Can't Let Go
Universal
Closer

Bis:
Springfield
A Natural Disaster
Distant Satellites

Bis 2:
One Last Goodbye
Lost Control
Destiny
Shroud of False
Fragile Dreams

Agradecimentos ao Costábile Salzano Jr da The Ultimate Music pela atenção e credenciamento.

 

Resenha: Mr Big e Geoff Tate - Tom Brasil, São Paulo - 19/08/2017

Por Rogério Talarico
Fotos gentilmente cedidas por Bárbara Martins

Free Pass Entretenimento trouxe ao país 2 renomados nomes do rock mundial: Geoff Tate, vocalista de uma das maiores banda de metal progressivo Queensrÿche e o Mr. Big, renomada banda de Hard Rock, ambos grupos formados nos anos 80.

Geoff Tate, acompanhado dos músicos brasileiros Felipe Andreoli no baixo (Angra), Leo Mancini (Tempestt) e Dallton Santos nas guitarras, Edu Comintato (SOTO) na bateria e Bruno Sá no Teclado, pontualmente às 20h30min, entraram ao palco com as vozes de “I Remember Now” ecoando nas caixas de som do Tom Brasil. A apresentação que veria a seguir prometia a execução do “Operation Mindcrime” (1988), álbum mais conhecido do Queenrÿche, na integra.

Geoff, sempre muito bem vestido, cantou por toda a apresentação com um sorriso no rosto e interagindo com seus músicos, a todo momento. Canções como “Operation: Mindcrime”, “Speak” e “The Mission” foram exaltadas por todo o púbico. Em “Suite Sister Mary”, a soprano brasileira Marília Zangrandi entrou ao palco para executar as partes originalmente cantadas por Pamela Moore, e demonstrou muita competencia e bastante interação com Geoff, durante os mais de 10 minutos que possuem esta canção.

A apresentação seguiu a ordem cronológica do disco, porém os pontos altos do show foram “Breaking The Silence”, “My Empty Room” e a derradeira “Eyes of a Stranger”. Porém, supreendendo seu fiel público paulista, Tate e seus músicos não abandonaram o palco e executaram a bela “Silent Lucidity”, música de mais sucesso do Queensrÿche, encerrando sua apresentação após cerca de 1h10min de puro carisma.

Com 15 minutos de atraso, Eric Martin nos vocais, Billy Sheehan no baixo, Paul Gilbert na guitarra e Matt Starr na bateria,  substituindo o renomado Pat Torpey que foi diagnosticado com Mal de Parkinson em 2015 subiram ao palco, com a casa de shows literalmente lotada. Assim como em sua passagem pelo país em 2015, os músicos não excluíram Pat das apresentações e ele estava presente, fazendo os vocais de apoio e tocando uma caixa com pratos e um meia-lua, mostrando que a banda possui muito apreço pelo exímio baterista.

Para conferir mais fotos e resenha completa, clique aqui.

 

Massacration: gravação de DVD em São Paulo neste sábado!

Agora é oficial! Depois de polêmicas especulações, rumores e boatos sobre os próximos passos da “maior banda de heavy metal de todos os tempos” e “milhões” de pedidos dos fãs, o Massacration orgulhosamente acaba de confirmar que está trabalhando na gravação do seu 1º DVD ao vivo em 15 vislumbrantes anos de carreira.

Detonator (vocal), Metal Avenger (guitarra), Headmaster (guitarra), Redhead Hammet (baixo) e Jimmy The Hammer (bateria) vão aproveitar a mega apresentação do próximo dia 26 de agosto, na Tropical Butantã, em São Paulo, para registrar este momento tão especial.

“Nossos súditos pediram e nós finalmente resolvemos atender. Poderíamos gravar um show na China para milhões de soldados, no berço do Heavy Metal na Alemanha ou até mesmo no Polo Norte, mas dentre tantas localidades, escolhemos São Paulo para imortalizarmos esse momento! Vamos ter novidades, surpresas e tenho certeza que o público vai curtir perfeitamente essa noite mágica, épica, que ficará marcada para sempre na história do metal mundial”, comentou Detonator.

O cenário será composto por muitos painéis de LED, que projetarão as imagens relacionadas ao repertório que será praticamente um verdadeiro best of do que vem sendo executado durante a  “Metal Milf World Tour”. Os fãs poderão conferir clássicos como “Metal Is the Law”, “Evil Papagali”, “The Bull”, “Metal Massacre Attack (Aruê Aruô)”, entre outros. Também são esperadas algumas participações especiais

Recentemente, a banda lançou videoclipe de “Metal Milf”. Confira em https://www.youtube.com/watch?v=F4gqnN0Vods.


Criado em 2002, como parte do programa humorístico "Hermes e Renato", da MTV, o Massacration ficou conhecido por fazer sátiras às bandas de heavy metal dos anos 80, brincando com todos os clichês em torno dos grupos da época com letras escrachadas, vocais agudos, roupas de couro e rítmica acelerada.

A história do autoproclamado “maior grupo de heavy metal do mundo” surgiu por acaso em 2002, quando um personagem comprou um CD da banda Massacration, que tocou a música "Metal Massacre Atack (Aruê Aruô)".

Com roupas cheias de rebites de metal e cabelos compridos e desfiados, o sucesso foi imediato e no dia seguinte à exibição do episódio, a banda fictícia era o principal assunto nos corredores da emissora.

O receio de que fãs de heavy metal resistissem à brincadeira não se concretizou e o trabalho foi bem aceito. Depois de um começo avassalador, a banda lançou os álbuns “Gates of Metal Fried Chicken of Death” (2005) e “Good Blood Headbangers” (2009), foi escalada para os principais festivais de rock do país como Abril Pro Rock, o Planeta Atlântida e o Porão do Rock, além de abrir vários shows do Sepultura.

O Massacration recentemente estrelou a propaganda de “O Grand Pedido”, título do famoso jingle do Big Mac. A campanha recebeu vários prêmios de marketing, o que acabou motivando os fãs a pedirem incessantemente o retorno do grupo.

Para mais informações, clique aqui.

Fonte: The Ultimate Press


 

Sioux 66 e La Raza - Estúdio Costella, São Paulo - 02/08/2017


Por Rogério Talarico
Fotos por Bárbara Martins


Na última Quarta-feira, 2, as bandas Sioux 66 e La Raza se encontraram no Estúdio Costella, localizado em Perdizes, São Paulo, para executar seus mais recentes lançamentos na integra, para amigos e fãs presentes nesta noite.

Com entrada franca, inicialmente marcado para as 20h, o evento que possuia uma proposta bem intimista iniciou às 22h20min com a banda Sioux 66 ligando os amplificadores do estúdio. Comandado por Igor Godoi nos vocais, Mika Jaxx e Bento Mello nas guitarras, Fabio Bonnies no baixo e Gabriel Haddad na bateria, a banda de hard rock paulistana incendiou o estúdio tocando seu mais novo disco intitulado “Caos”, lançado em 2016.

Entre faixa e outra, a banda interagia com seu público e também com os espectadores que estavam assistindo através de uma live feita na conta oficial do instagram do grupo. Entre as canções tocadas, as que mais empolgaram o público foram o primeiro single “Tudo o que restou”, a pesada e rápida “Seu destino” com uma ótima interpretação por parte de Igor e também “Minerva”, com o belo solo feito pelo Jaxx e com a frenética bateria de Haddad. Assim como no disco, a apresentação encerrou-se com “O Calibre”, homenagem da banda ao Paralamas do Sucesso.

Cerca de 20 minutos após, a banda La Raza entrou no estúdio para executar as canções de seu disco de estreia, “Bem vindos a La Raza”. Misturando rock, rap e letras do cotidiano, a banda capitaneada por Alex Palaia nos vocais, Thiago Matricardi na bateria, Ticana na guitarra, Juninho no baixo e DJ Daimon nas pick ups, a banda tocou por cerca de 40 minutos com muita energia.

Palaia que não parava por um segundo, mostrou muita competencia não somente interpretando e cantando suas canções mas também comandando sua banda. Juninho também manda muito bem no seu baixo, que sem dúvidas, é  um grande diferencial da banda. Dentre as canções tocadas, “Na contra partida”, a calma “Atrás de um sonho” que mostra um outro lado da banda, “Pra Onde Seguir?” originalmente cantada em dueto com Caio MacBeserra do Project46 e “Caos da Paz” foram os pontos altos da noite. A banda encerrou sua apresentação por volta das 23h45min com a pesada “Cai Dentro”.

Um noite marcante com 2 importantes bandas do novo cenário nacional, que ainda vão dar muito o que falar. Esperamos que eventos como este se repitam mais e mais.


Set List Sioux 66:

Caos
Tudo Que Restou
Meu Lugar
Seu Destino
O Que te Impede de Viver?
O Homem Que Nunca Mudou
Libertad
Minerva
Desarmado
O Rei (O Que te Faz Estar Aqui)
Pra Sempre
O Calibre (cover Paralamas do Sucesso)


Set List La Raza:

Bem Vindos A La Raza
Na Contra Partida
/Quem?
O Dia Em Que o Pai Chorou
Atrás de Um Sonho
Virar o Jogo
O Bem Que Voce Me Faz
Pra Onde Seguir
Caos da Paz
Cai Dentro

 

12/08/2017 - ANATHEMA (CARIOCA CLUB, São Paulo/SP)

Anathema em SP

Local: Carioca Club Pinheiros
Endereço: Rua Cardeal Arcoverde, 2899 - Pinheiros - São Paulo - SP

Abertura da casa: 17h30
Horário Show: 19h00

INGRESSOS:
1º Lote - Pista - Meia-entrada R$ 120,00
1º Lote - Pista - Promocional (doe 1 Kg de alimento) R$ 120,00
1º Lote - Pista - Inteira R$ 240,00
1º Lote - Camarote - Meia-entrada R$ 180,00
1º Lote - Camarote - Promocional (doe 1 Kg de alimento) R$ 180,00
1º Lote - Camarote - Inteira R$ 360,00

Venda Online: CLIQUE AQUI

Fonte: The Ultimate Music

 

Pesquisa

Redes Sociais

Newsletter