Accept - Opinião, Porto Alegre - 07/04/2013

por Carol Flores

Mais uma banda de renome da cena heavy metal passou por Porto Alegre: o Accept, que já passou diversas vezes pelo Brasil, fez o Opinião tremer em sua primeira passagem pela capital gaúcha no início deste mês.

Antes, porém, da estreia dos alemães em solo gaúcho, a banda Spartacus ficou responsável por iniciar os shows da noite.  O quarteto venceu o desafio fazendo uma apresentação ousada que agradou os que desde cedo chegaram ao Opinião. Conhecida da cena metal gaúcha desde os anos 80, a Spartacus se destaca pelo som autoral em português de qualidade além dos arranjos pesados e também a contagiante presença de palco, principalmente de seu vocalista M Canto. Foi, sem dúvida, uma noite marcante nos mais de 25 anos de carreira da Spartacus que está de parabéns pelo espetáculo apresentado.

Passava um pouco mais das 21h quando o Opinião recebeu Mark Tornillo (vocal), Wolf Hoffmann (guitarra solo), Herman Frank (guitarra), Peter Baltes (baixo) e Stefan Schwarzmann (bateria) ao som das palmas e gritos dos fãs que há muito esperavam por esse momento.  Logo no início era notável o quão especial seria a noite por dois motivos: a empolgação dos fãs e a resposta à altura dada a eles pela banda no palco. “Hung, Drawn and Quartered” e “Hellfire”, ambas do mais recente trabalho do Accept, “Stalingrad”, foram as primeiras do setlist.

Voltando mais de 20 anos no tempo,” Restless and Wild”, do álbum de mesmo nome, e “Losers and Winners” do aclamado “Balls To The Wall” foram as próximas, ambas contando com o coro de vozes cantando junto com Tornillo. Todos sabem da importância de Udo Dirkschneider na história do Accept, o criador e voz durante muito tempo, porém é de se admirar o que Mark conseguiu assumindo a responsabilidade de substituir Udo: deu à banda um novo folego sem deixar de honrar as composições que tornaram o Accept mundialmente reconhecido. Clássicos como “Fast as a Shark”, “Neon Nights”, “Breaker” e outras, consagradas na voz de Udo, não perdem sua força com Tornillo.

Também Wolf e Baltes merecem ser citados por sua incrível presença de palco aparentemente intocada nesses mais de 30 anos de parceria nos palcos. Em ”Princess of the Dawn”, sendo um exemplo entre muitos, ambos conseguem manter a atenção dos fãs em seus respectivos solos, também interagindo demais com os presentes.


O trio final de músicas foi tão matador quanto o restante da noite: a excelente “Metal Heart”, que tem um dos solos mais marcantes na história do heavy metal, tão marcante que é impossível não acompanhá-lo cantando, o single “Teutonic Terror” do elogiado álbum de retorno da banda após uma longa pausa “Blood Of The Nations” e, finalizando, “Balls to the Wall” que lavou a alma de todos os fãs que acompanharam Mark cantando e alto e bom som.

O Opinião foi palco de mais um show histórico em Porto Alegre. Foi tão bom que faltam palavras para descrever. Deixo então uma curiosa frase de um fã que lá esteve: apesar de eu ter ido, estou triste porque acabou. Se este é o sentimento geral vamos torcer para uma volta rápida do Accept à cidade. Só assim essa noite será superada.

Veja alguns vídeos abaixo:

No Shelter

 

Losers and Winers

 

Aiming High

 

Pandemic

Fast as a Shark

 

Princess Of The Dawn

Setlist

Hung, Drawn and Quartered

Hellfire

Restless and Wild

Losers and Winners

Stalingrad

Breaker

Bucket Full of Hate

Monsterman

Shadow Soldiers

Neon Nights

Bulletproof

Aiming High

Princess of the Dawn

Up to the Limit

No Shelter

Pandemic

Fast as a Shark

Encore:

Metal Heart

Teutonic Terror

Balls to the Wall

 

Agradecemos a Lorenza Bueno e toda equipe da Urânio Produtora


Pesquisa

Redes Sociais

Newsletter