Arch Enemy - Carioca Club, São Paulo - 25/11/2012

por Carol Flores

Os suecos do ARCH ENEMY retornaram ao Brasil para uma apresentação única em dois sentidos: não apenas por ser um show único no nosso país durante a turnê Khaos Legions South América mas, acima de tudo, pelo espetáculo apresentado na noite do último domingo no Carioca Club na capital paulista.

A banda responsável pela abertura foi a aclamada MX. Com um show composto principalmente de repertório próprio, o quarteto não fez feio e agradou os presentes que aos poucos chegavam ao local. O som, que tem clara influência de bandas como Slayer e Anthrax, cumpriu sua tarefa de aquecer os fãs para a atração principal que viria em seguida.


Pontualmente às 20h iniciou-se o show que marcou o retorno do ARCH ENEMY ao Brasil após 3 anos. Divulgando seu trabalho mais recente, o ótimo Khaos Legions (2011), a banda liderada por Michael Amott e Angela Gossow era esperada ansiosamente por fãs que se encontravam próximos ao Carioca Club desde cedo pela manhã. O trio inicial de músicas já demonstrava o quão heavy a noite seria: Yesterday Is Dead and Gone do álbum Khaos Legions, Ravenous do primeiro álbum que tem como vocalista Angela, Wages of Sin (2001), e a ótima My Apocalypse, que contou com o coro de vozes seguindo as guitarras de Michael e Nick.


Bloodstained Cross deu continuidade à divulgação do Khaos Legions, sendo seguida por The Day You Died, música do álbum Rise of the Tyrant (2007) que, segundo Angela, teve como inspiração o anime “Grave of the Fireflies”. Durante os intervalos entre as músicas, a vocalista fez questão de conversar com seu público, até mesmo mais do que o usual, mas não sem um bom motivo: Gossow explicou que “a América Latina demonstra ter tanta paixão que decidimos gravar os shows desta turnê para lançar um DVD”, e por isso “essa noite vocês são as verdadeiras estrelas”.


A calorosa recepção dos fãs brasileiros do ARCH ENEMY ficou ainda mais evidente em Revolution Begins, que novamente fez todos acompanharem Angela no vocal, seguida de Under Black Flags We March. Entre estas últimas os fãs ainda conferiram um rápido solo de bateria de Daniel.

Em Burning Angel e, principalmente, Dead Eyes See No Future, a banda conseguiu manter toda a atenção dos presentes que se intercalavam ora batendo cabeça com seus ídolos ora gritando as letras numa devoção absurda. Logo após Nick Cordle, que substituiu o guitarrista Christopher Amott, teve seu momento de destaque ao interpretar Intermezzo Liberté com um solo de guitarra digno de nota.


A noite seguiu com as ótimas Dead Bury Their Dead (Wages of Sin - 2001) e uma das melhores do Khaos Legions, No Gods No Masters. Nesta ultima nota-se toda qualidade do ARCH ENEMY como músicos completos: instrumentistas e compositores de qualidade. Grande parte das letras da banda possuem certo engajamento social como, por exemplo, as que têm um discurso contra qualquer instrumento de alienação, o que existe aos montes em nossa sociedade. We Will Rise, outro hino absoluto do ARCH ENEMY, veio em seguida para ser um dos pontos altos do show. Antes do encore ainda deu tempo de conferir mais duas músicas: Cruelty Without Beauty e Bridge of Destiny.

Retornando ao palco para finalizar o show, ainda restavam mais 4 músicas: Blood on Your Hands precedeu a instrumental Snow Bound. Logo após mais dois clássicos foram tocados: Nemesis e Fields of Desolation fecharam a noite de forma incrível, com todos deixando o Carioca Club extenuados mas extremamente satisfeitos.

O ARCH ENEMY é aquele tipo de grupo exemplo: possui técnica, presença de palco e carisma com os fãs. Michael e Angela têm total domínio de suas respectivas guitarra e voz e mantêm a banda como uma das melhores do gênero há anos. Nick mostrou ter sido uma boa escolha para substituir Christopher Amott e, junto com Sharlee e Daniel, doa-se ao máximo em cada show. Já o carisma e respeito mútuo que tem com seus fãs fica evidente em alguns momentos como quando Angela carregou a bandeira do país e os diversos agradecimentos feitos. Vale também destacar a organização do evento que ficou a cargo da Liberation MC. Por fim, somado a tudo isso, a importância dos fãs num show como esse é, como disse Angela, fator principal. O ARCH ENEMY não teria todo impacto ao vivo caso seu público não fosse absurdamente tão participativo. Aos que foram ao Carioca Club, meus sinceros parabéns por não serem somente mais do mesmo dentro do meio de fãs de metal (posers não faltam na cena, infelizmente). Aos que não puderam ir resta informar que um possível retorno da banda ao Brasil, levando em consideração a pausa anunciada recentemente, irá demorar. Sorte para alguns, azar para outros, o que é certo é que um show como esse não pode ser perdido de maneira alguma.

Confira abaixo alguns vídeos do show:

Revolution Begins

Under Black Flags We March

The Day You Died

Setlist

Yesterday Is Dead and Gone
Ravenous
My Apocalypse
Bloodstained Cross
The Day You Died
Revolution Begins
Drum Solo
(Daniel Erlandsson)
Under Black Flags We March
Burning Angel
Dead Eyes See No Future
Intermezzo Liberté
(Incl. Nick Cordle guitar solo)
Dead Bury Their Dead
No Gods, No Masters
Cruelty Without Beauty
We Will Rise
Bridge of Destiny


Encore:
Blood on Your Hands
Snow Bound
Nemesis
Fields of Desolation

Agradecimentos à produtora Liberation MC e Luciano Piantonni.

Pesquisa

Redes Sociais

Newsletter