Robert Plant - Gigantinho, Porto Alegre - 29/10/2012

por Carol Flores

fotos por Cris Kellen Santoro

Porto Alegre teve o prazer de receber uma das vozes mais representativas da história do rock: Robert Plant, um dos líderes do Led Zeppelin, trouxe à capital gaúcha um espetáculo que não deixa de ser um passeio ao longo da trajetória do rock como estilo musical, ao mesmo tempo em que traz a marca pessoal dos últimos projetos de Sir Robert Anthony Plant: a influência da música folclórica africana.

Antes, porém, do tão esperado encontro entre Robert e seus fãs, o Gigantinho curtiu o show de abertura do instrumentista Renato Borghetti. Conhecido por ser um dos destaques da música regionalista instrumental sul rio-grandense, o acordeonista realizou uma rápida, mas satisfatória, apresentação. Mesmo fugindo ao estilo musical que era esperado para a noite, Borghettinho agradou os presentes com destaque para a bela versão de “Felicidade” que contou com o público no papel de vocalista.

Era então chegada a hora: logo após a entrada dos membros da The Sensational Space Shifters, sobe ao palco Robert Plant que é logo recepcionado com palmas de reconhecimento. Lenda foi uma das palavras que mais foram ouvidas durante o dia inteiro nos arredores do Gigantinho enquanto a fila começava a se formar bem cedo na manhã. A recepção mostrou-se a altura da expectativa pelo evento.

É óbvio que os momentos mais especiais da noite foram as versões que Robert fez de alguns clássicos da sua antiga banda: “Friends”,  “Black Dog”, “ Going To California” e “Rock and Roll”, para citar só algumas, fizeram os presentes acompanhar Plant no vocal, sendo que não foram poucos os que de fato se emocionaram. Vale também  citar todo o potencial da The Sensational Space Shifters que é usado nas diferentes versões e experimentações que Robert vem fazendo: o uso de instrumentos como o ritti (um violino africano de apenas uma corda) merece destaque pois dá uma qualidade ao som, e também certa originalidade, que acaba se diferenciando.

Foi sem dúvida uma noite a ser lembrada pelos cerca de 10 mil fãs que foram conferir de perto a performance de uma lenda (mito, marca, insira outro qualificador aqui). Um show que mesmo aqueles que, por acaso, não conhecessem o legado de Plant e do Led Zeppelin, mas tivessem um bom gosto musical, iriam elogiar. Robert usa sua história com uma das bandas mais conhecidas do rock não apenas para se manter numa carreira solo. Ele será sim eternamente lembrado como vocalista do Led Zeppelin e por isso mesmo pode se dar ao luxo de experimentar sem ter medo: seus fãs estarão sempre receptivos a conhecer o que ele tem de novo a oferecer sem, é claro, deixar de esperar por algum momento “relembrar é viver”.  Na última segunda tivemos o luxo de “viver” tão intensamente o que tantos outros já fizeram décadas antes. Resta torcer para que esta não tenha sido uma chance única.

Confira mais fotos do evento clicando aqui.

Setlist

Tin Pan Valley
Another Tribe
Spoonful
Friends
Four Sticks
Song to the Siren
Fixin' to Die
Black Dog
All The King's Horses
The Enchanter
Bron-Y-Aur Stomp
Ramble On
Whole Lotta Love

Encore:
Going to California
Rock and Roll

 

Agradecimentos a Renata Germano da RBS Eventos e a fotógrafa Cris Kellen Santoro.

Pesquisa

Redes Sociais

Newsletter