Pain Of Salvation - Teatro do CIEE, Porto Alegre - 29/09/2012

por Carol Flores

Retornando ao Brasil após um ano da turnê de divulgação do álbum “Road Salt One”, o PAIN OF SALVATION passou novamente por Porto Alegre agora promovendo o também aclamado “Road Salt Two”. O fato da mobilização dos fãs gaúchos via crowdfunding ser a responsável pela volta dos suecos à capital gaúcha deixou ainda mais especial a noite em que Daniel e Cia fizeram o Teatro do CIEE tremer com seus pesados arranjos e significativas letras.


A banda Wishcraftt, responsável pelo show de abertura, difere em muitos pontos do som feito pela PAIN OF SALVATION e, por isso, foi um desafio agradar aos presentes. Realizando uma rápida apresentação apenas com músicas próprias, a Wishcraft saiu do palco do Teatro do CIEE sob aplausos do público que soube reconhecer a qualidade e originalidade de seu trabalho.


Era então chegada a hora do reencontro, pela terceira vez, do PAIN OF SALVATION com seus fãs gaúchos. O Teatro do CIEE, que possui ótima estrutura de acústica e iluminação, não poderia ter sido melhor escolhido para esta noite que, como todo show, ficou marcada por diversos momentos em que a performance da banda (com destaque óbvio para Daniel) fez o público se emocionar. Logo no início uma simples entrada  do vocalista, que executa sozinho a bela “Road Salt”, foi o primeiro momento marcante da noite.


Após isso veio um trio pesado que animou todos a ponto de vários fãs, inclusive a pedido de Daniel, tomarem a frente do palco. “Softly She Cries”, uma das melhores músicas do “Road Salt Two”, seguida da ótima “Linoleum” e de um dos hinos da banda, “Diffidentia” foram executadas com notável doação por parte de Daniel, Zolberg, Hielm, Karlsson e Margarit e acompanhadas com grande empolgação pelos presentes. E este era só o começo.


A curta “1979” e “To The Shoreline” retomam a divulgação do álbum “Road Salt Two”. As quatro primeiras músicas do álbum “The Perfect Element” deram continuidade ao show, “Used”, “In the Flesh”, a ótima “Ashes” e “Morning on Earth”. Ainda do mesmo álbum a próxima a ser tocada foi “Reconciliation”, totalizando cinco músicas somente do álbum “The Perfect Element” que, somadas às músicas do show no ano passado, foi praticamente executado por completo na capital gaúcha.


“Stress’ e “Undertow”, com o guitarrista Ragnar ZSolberg numa digna performance nos vocais, foram as próximas antes dos acordes iniciais de “Beyond the Pale”, um dos destaques da álbum “Remedy Lane”, que novamente fez o público romper em manifestações de extrema satisfação.


Ao voltar para o encore, a banda se deparou com diversos pedidos para executar “Disco Queen”, uma das músicas mais conhecidas do PAIN OF SALVATION nesses mais de vinte anos de carreira. Contrariando os fãs, entretanto, era a vez de “No Way” e da ótima “Sisters”, ambas do álbum “Road Salt One”, que encerrou o show com a mesma atmosfera intimista de seu início.


Mais uma vez o PAIN OF SALVATION surpreendeu seus fãs tamanha a qualidade de sua apresentação que, ouso dizer, é uma experiência totalmente diferente ao vivo em relação aos álbuns de estúdio. E isso por um simples motivo: a devoção que Gildenlöw demonstra ter ao executar suas, já excelentes nas gravações, composições no palco. Daniel já foi alvo de críticas devido seu comportamento considerado um tanto egocêntrico em relação à banda, mas não se pode esperar nada menos quando estamos diante de uma das maiores mentes no Rock. Se o intuito é manter a qualidade e originalidade do PAIN OF SALVATION a cada lançamento, Gildenlöw deve ter carta branca para fazer o que bem entender. Não esperamos menos que isso de um gênio.

Setlist

Road Salt
Softly She Cries
Linoleum
Diffidentia
1979
To The Shoreline
Used
In the Flesh
Ashes
Morning on Earth
Reconciliation
Iter Impius
Stress
Undertow
Beyond the Pale
Encore:
No Way
Sisters

Agradecimentos a sempre prestativa produtora Abstratti

Pesquisa

Redes Sociais

Newsletter