Sebastian Bach - Bar Opinião, Porto Alegre - 15/04/2012

por Carol Flores

Noite nostálgica para os fãs de hardrock ocorreu no último domingo no já conhecido Opinião. Nada mais do que um dos ícones deste vertente do rock retornou a Porto Alegre: Sebastian Bach.


Mesmo após a abertura da casa a fila de fãs que iriam prestigiar a eterna voz do Skid Row ainda demorou a acabar. Tanto o número de presentes quanto a calorosa recepção dos gaúchos no aeroporto para o “Tião”, que inclusive foi destaque em seu perfil oficial no Facebook, prometiam que este seria um evento de peso na capital gaúcha.

Antes do esperado retorno de Sebastian, o público, que então ainda não lotava o Opinião, teve a chance de conferir a apresentação da banda porto-alegrense Zerodoze. Som de qualidade, pesado, com letras bem trabalhadas nos vocais de Cristiano Wortmann (guitarra) e André Lacet (baixo), que junto com Alberto Andrade (bateria) formam este power trio digno de nota. Com dois álbuns já lançados, o trio apresentou músicas próprias, com destaque para seu mais recente trabalho "O peso que corrói". As diversas bandas escolhidas como abertura para shows em Porto Alegre têm se mostrado de tamanha qualidade que conseguem não somente servir de aquecimento mas também realizar shows originais, tornando estes eventos duplamente especiais. O mérito no último domingo vai para a Zerodoze e também para a produtora Abstratti que dificilmente erra ao escolher as bandas que tem a responsabilidade de abrir seus eventos.


Um pouco depois do horário previsto Sebastian Bach entra, literalmente pulando, no palco do Opinião, levando os fãs à loucura. "Slave To The Grind", música que dá nome para o segundo álbum de estúdio do Skid Row, é a escolhida para abrir  a noite. Em seguida veio "Kicking & Screaming", música que dá nome ao mais recente trabalho do vocalista. No geral o restante do excelente espetáculo segue estes saltos de 20 anos entre músicas  dos primeiros trabalhos de Sebastian com o Skid Row e  de seus mais recentes álbuns.


"Dirty Power" mantém a animação do público mas nada conseguiu obter resposta mais positiva dos fãs quanto o próprio Sebastian com eles interagindo. Voltando aos anos 80, as duas primeiras músicas do álbum de estreia do Skid Row foram as próximas: "Here I Am" e "Big Guns" foram acompanhadas em coro pelos presentes.


Ao relembrar sua conturbada passagem pela cidade em Porto Alegre com o Guns N' Roses em 2010, Bach logo emenda duas canções de seu álbum solo "Angel Down" (2007), que aliás conta com a participação do vocalista Axl Rose: "(Love Is) A Bitchslap" e "Stuck Inside".


Tanto público quando banda mal paravam tamanho entusiasmo de ambos, prova disso foi o lindo coro nas músicas "Piece Of Me" e "18 and Life", sem dúvida um dos pontos altos da noite. Sebastian, que hoje não tem mais todo folêgo e pontecial vocal de antigamente, soube dosar o uso adequado de sua voz deixando a multidão guiar partes  de suas músicas. Algo totalmente compreensível já que este era o quarto show consecutivo, em três diferentes países da América latina, isso apenas em quatro dias. O público que lotava o Opinião aceitou com prazer esses momentos em que pôde cantar em plenos pulmões os clássicos da carreira de Bach, como se fosse a primeira vez do vocalista na cidade, já que as anteriores não trazem boas lembranças.


Apesar de rápido, um momento mais intimista veio logo depois com Sebastian conduzindo os fãs  cantando pequenas partes de "Wasted Time", "In a Darkened Room" e "By Your Side".  "As Long as I Got the Music" retoma a divulgação do álbum "Kicking & Screaming" e a ótima "Monkey Business" acorda novamente os presentes, com direito a bananas sendo jogadas para a platéia que só podia responder acompanhando o vocalista cantando o mais alto que podiam.


"My Own Worst Enemy" deu continuidade à noite e antes da excelente "I'm Alive" Sebastian  apresenta sua banda: Johnny Cromatic (guitarra), o prodígio e um tanto tímido Nick Sterling (guitarra), Bobby Jarzombek (bateria) e Jason Christopher (baixo, que inclusive já trabalhou com Corey Taylor do Slipknot/Stone Sour) recebem calorosos e merecidos aplausos quando apresentados.


Já se encaminhando para o final do evento, "I Remember You" voltou a acordar os fãs que mais uma vez acompanharam Sebastian nos vocais. Antes de "Tunnelvision", o vocalista brincou dedilhando o de longe reconhecível riff de "Iron Man" na guitarra de Nick, arrancando mais aplausos do público. E a noite não poderia acabar antes de Sebastian dar aos fãs aquilo que todos esperavam ansiosamente: "Youth Gone Wild", o hino do Skid Row, encerrou o evento de forma única. O público ainda teve fôlego para se tornar ensurdecedor e Sebastian, além de dar seu máximo após quatro dias se dividindo entre aerportos e shows, tirou forças para carregar Sterling nas costas durante parte da música. Após se despedir do público, Sebastian e sua banda deixam o palco do Opinião.


Para quem tem mais de 20 anos de estrada, sendo uma das vozes de uma geração, Bach continua firme divulgando a cena mas não apenas sobrevivendo do passado. Seu último álbum, tão elogiado por público e críticos, é prova incontestável e conferimos isso de perto no último domingo.  Sebastian Bach finalmente pode dar aos seus fãs gaúchos uma noite inesquecível, sem problemas alheios a sua vontade  e recebendo de volta tamanho carinho que uma quinta passagem por Porto Alegre é bem possível de acontecer.

Setlist

Slave to the Grind (Skid Row)
Kicking and Screaming
Dirty Power
Here I Am (Skid Row)
Big Guns (Skid Row)
(Love Is) a Bitchslap
Stuck Inside
Piece of Me (Skid Row)
18 and Life (Skid Row)
American Metalhead
Wasted Time/In a Darkened Room/By Your Side
As Long as I Got the Music
Monkey Business (Skid Row)
My Own Worst Enemy
I’m Alive
I Remember You (Skid Row)
Tunnelvision
Youth Gone Wild (Skid Row)

Agradecimento à produtora Abstratti


Pesquisa

Redes Sociais

Newsletter