Tarja Turunen - Bar Opinião, Porto Alegre - 04/04/2012

por Carol Flores

Retornando a Porto Alegre após quatro anos, a cantora TARJA TURUNEN realizou um show notável na última quarta no Opinião. Dona de uma voz ímpar na cena metal, Tarja e sua eficiente banda prenderam a atenção dos presentes facilmente do início ao fim da noite. Confira a cobertura de mais este grande evento na capital gaúcha aqui na Metal Concerts.

Nada foi capaz de incomodar os fãs que desde cedo formavam fila na frente do Opinião, nem mesmo uma pequena confusão em relação a alguns furos mais a frente desta (resolvida rapidamente pela produtora local) ou o atraso na abertura da casa (o que também atrasou parte da programação). A espera para vê-la novamente foi tão grande que dificilmente algo poderia diminuir a grandeza deste show.


A banda gaúcha Noctis Notus foi responsável pelo show de abertura. Liderada por Juliana Novo, cantora lírica que tem Tarja como grande influência musical, a Noctis Notus fez um show que serviu muito bem de preparação para a atração principal. O público acompanhava entusiasmado as composições da banda e dos demais projetos da vocalista. Não devemos deixar de citar a ousadia de Juliana em escolher tocar duas músicas que foram eternizadas pela voz de Tarja: “Phantom Of The Opera” e o cover de Nightwish “Fantasmic Part 3”. Após pouco mais de meia hora a Noctis Notus deixa o palco sob os aplausos de reconhecimento do público porto-alegrense.


Um pouco depois das 22h a nada rápida música que serve de introdução para todos os shows da turnê do álbum “What Lies Beneath” começa a ser tocada com os presentes reagindo com gritos e aplausos. Aos poucos a banda que acompanha a cantora finlandesa já a algum tempo entra em cena: Christian Kretschmar (teclados), Max Lilja (violoncelo), Kevin Chown (baixo), Alex Scholpp (guitarra) e Mike Terrana (bateria). Por fim o público reconhece o início de “Anteroom Of Death” e logo depois é a vez de Tarja entrar no palco fazendo os fãs gritarem ainda mais. Esta música, que nunca antes tinha sido tocada no Brasil, tem a participação da banda a capela Van Canto em sua versão no álbum. Já ao vivo quem faz o papel dos alemães são os próprios fãs sendo que os gaúchos não fizeram feio tirando de Tarja um agradecimento após o final da música.


Dizendo que estava muito contente em finalmente retornar à cidade, Tarja não perde tempo e introduz  “My Little Phoenix” de seu primeiro álbum em carreira solo (My Winter Storm – 2007). O destaque aqui vai para Max que interage bastante com Tarja. Uma das músicas mais pesadas do “What Lies Beneath” veio em seguida: “Dark Star” também foi cantada em coro pelos presentes, com o baixista Kevin se esforçando  nos vocais que na versão de estúdio são feitos pelo grande Phil Labonte (All That Remains).

O single “Falling Awake” dá continuidade a noite e a reação do público é tão positiva que ao final da música Tarja agradece e também fala o quanto se sente bem recebida em Porto Alegre. A noite segue com “I Walk Alone” e mais uma vez o Opinião vibra com o coro de vozes que acompanha a finlandesa.


Sozinho no palco é a vez de Mike Terrana se destacar num solo de bateria que, apesar de parecer o mesmo há anos, consegue manter a animação dos fãs. O solo foi seguido pela apresentação de uma música do projeto de Mike chamado “Sinfonica”, onde ele faz versões de diversas músicas clássicas na bateria. Logo após Mike brilhar veio um jam (que serve de introdução para a música “Little Lies”) com todos os músicos que acompanham Tarja. “Little Lies” acaba tendo um impacto maior ao vivo devido a esta pesada introdução, tão pesada quanto a própria música. Tarja sabe bem que um músico não consegue manter uma carreira solo de qualidade sem uma equipe de peso e não errou ao escolher seus companheiros. Alex e Kevin se apresentavam pela primeira vez no Brasil com a cantora e não decepcionaram os fãs, provando porque merecem o posto de principais guitarrista e baixista na banda, utilizando sua ótima presença de palco para dar um ar ainda mais pesado para o espetáculo.


A bela “Underneath” acalma o publico que parece optar pelo silêncio apenas para apreciar o potencial vocal de Tarja que nesta música é evidenciado. O silêncio logo acaba quando os presentes reconhecem a introdução de “Bless The Child”, um dos clássicos da banda que Tarja fazia parte. Se no seu show em Porto Alegre em 2008, então em turnê do seu primeiro álbum solo, Tarja teve claramente que se apoiar em vários hits do Nightwish (Nemo sendo o principal exemplo), hoje ela tem ótimas e suficientes opções de músicas suas para compor o setlist, não deixando de incluir algumas de sua banda anterior mas nem por isso escolhendo singles já saturados (podemos também citar Wishmaster que assim como Nemo estava no setlist do show de 2008). Muitos dos fãs que ali estavam, para não dizer a totalidade, nunca tinham visto “Bless The Child” ao vivo e receberam este presente que dificilmente se repetirá por aqui.


Enquanto o palco era reorganizado para um set acústico, Tarja fala o quanto gosta dessa parte mais intimista de seus shows. Mesmo não tocando as músicas por completo, Tarja consegue, praticamente só com sua voz, fascinar o público que a cada música rompe em aplausos. “Rivers Of Lust” e “Minor Heaven” são as primeiras executadas, seguidas por “Montanas de Silencio”, música composta por Tarja em espanhol, e a linda “Sing For Me”. Nestas últimas duas, Christian acompanha Max no violoncelo e em “I Fell Immortal” é Tarja que assume os teclados, demonstrando que seu talento não se resume somente a sua voz.


A pesada “Never Enough”, música que segundo Tarja estará em seu próximo álbum, é a próxima a ser tocada seguida pela ótima “In For a Kill” com todos se retirando do palco logo depois. Impaciente o público começa a gritar pelo retorno de Tarja, pedindo pela música Wishmaster. Felizmente a cantora não mudou sua programação e na volta optou por outra música que, ao meu ver, combinou mais com a proposta do show: o início de “Over The Hills And Far Away” logo calou os nostálgicos do Nightwish. Tarja dá o segundo presente da noite para seus fãs, já que esta música tinha sido pedida em coro no show gaúcho de 2008 e infelizmente tinha ficado de fora.

Já se encaminhando para o final da noite, era a vez de “Die Alive” que manteve público e banda animados. Tarja então se prepara para a última música, não antes de agradecer a carinhosa recepção dos porto-alegrenses e falar que não irá sumir por muito tempo já que estará trabalhando no seu próximo álbum. O single “Until My Last Breath”, que inclusive ficou semanas como mais pedido na MTV Brasil dando uma visibilidade à cantora no país como nunca antes tinha recebido, é então tocado e finaliza o evento de forma grandiosa. A resposta dos fãs é novamente tão forte que Tarja, após se despedir junto com sua banda, ainda demorou um bom tempo para sair do palco. Sozinha e mostrando-se claramente emocionada, agradeceu, mandou beijos e, por fim, declarou seu amor pelos gaúchos com um “I love you all” antes de se retirar, deixando todos no Opinião querendo mais.


Se Tarja conseguiu provar algo, não só nessa noite mas nesta extensa turnê de quase dois anos, foi o fato dela não precisar mais se apoiar no trabalho de outros para mostrar seu valor como musicista. Tarja Turunen não é mais somente uma voz a se admirar, é também uma ótima instrumentista, compositora e só ganhou esse status recentemente (para ser mais exata no lançamento de seu segundo álbum, “What Lies Beneath”, onde teve muito mais liberdade para criar e colocar sua personalidade nas composições e arranjos). A turnê mundial para promover este álbum serviu para mostrar aos fãs essa nova Tarja que só tem a melhorar. O Nightwish ficou definitivamente para trás e se hoje a cantora dá aos fãs a chance de ver algumas preciosidades de sua antiga banda ao vivo é mais pelo desejo do público e menos por necessidade dela. Isso se chama amadurecimento e já era tempo de Tarja alcançá-lo.

Setlist

01. Anteroom of Death
02. My Little Phoenix
03. Dark Star
04. Falling Awake
05. I Walk Alone
06. Drum Solo + Little Lies Band
07. Little Lies
08. Underneath
09. Bless the Child (Nightwish)
10. Rivers of Lust/Minor Heaven/Montanas de Silencio/Sing for Me/I Feel Immortal
11. Never Enough
12. In for a Kill

Encore

13. Over the Hills and Far Away (Gary Moore)
14. Die Alive
15. Until My Last Breath

Agradecimento à produtora Abstratti

Pesquisa

Redes Sociais

Newsletter