Iced Earth - Bar Opinião, Porto Alegre - 27/03/2012

por Carol Flores

Um dos ícones do metal, o ICED EARTH se apresentou em Porto Alegre na última terça-feira, presenteando seus fãs gaúchos com um show de peso. Em turnê de divulgação de seu mais recente álbum, Dystopia (2011), Schaffer e Cia. também relembraram clássicos de seus mais de 25 anos de carreira. Acompanhe agora a cobertura feita pela equipe Metal Concerts.

O Bar Opinião é referência quando o assunto em pauta são shows de qualidade realizados na capital gaúcha. Tanto como casa de shows como produzindo tais eventos, o Opinião sempre teve por objetivo tentar atender o diversificado gosto do público porto-alegrense, trazendo para cá bandas de diferentes estilos (e não só do rock). A noite do último dia 27 estava reservada para os bangers fãs do ICED EARTH que compareceram em bom número no show, demonstrando que este era esperado há um certo tempo.

Um pouco depois das 21h, somando um atraso de uma hora provavelmente na espera para que a casa enchesse mais um pouco, Freddie Vidales (baixo), Troy Seele (guitarra), Brent Smedley (bateria) e Stu Block (vocal) sobem ao palco do Opinião liderados pelo guitarrista Jon Schaffer, idealizador do ICED EARTH. Uma entrada direta e rápida, ao som da pesada introdução da música que nomeia o último álbum da banda, "Dystopia", foi suficiente para fazer os presentes responderem alto e em bom som. "Angels Holocaust", de um dos álbuns mais famosos do ICED EARTH ("Night of the Stormrider" - 1992) foi a próxima, com público acompanhando Stu ainda mais nos vocais.

A noite continua com "Slave to The Dark", do álbum "The Dark Saga (1996)" e "V", retomando a divulgação do álbum "Dystopia", com Stu interagindo com o público ao pedir que todos fizessem o sinal V com as mãos. Claramente mais a vontade executando as músicas do "Dystopia", mas nem por isso fazendo feio nas canções dos trabalhos anteriores do ICED EARTH, Stu conseguiu cativar os fãs tanto em relação a sua performance quanto a atenção que dava ao público. É inegável que muitos dos presentes consideram Matthew Barlow a voz do ICED EARTH e não cabe aqui nenhuma contestação quanto a este fato. Entretanto o novo vocalista surgiu como a escolha certa para a banda continuar na ativa, sem esquecer de seus clássicos, eternizados por Matthew e também por Tim "Ripper" Owens.

Em geral o público recebia muito bem cada música executada mas a empolgação foi às alturas quando era a vez de alguma do álbum "Something Wicked This Way Comes", como aconteceu em "Stand Alone". Nas excelentes "When the Night Falls", do nostálgico álbum de 1990 "Iced Earth", e "The Hunter" Stu fez por merecer ter sido escolhido como vocalista, não devendo em nada para os seu predecessores Gene Adams e Barlow.

O termo continuidade pode ser usado nos dois sentidos opostos quando falamos do ICED EARTH. Se esta continuidade não existe em relação aos diversos músicos que a banda já teve, ela sobrevive no que a banda se propõem ao fazer na cena metal. E isto sem dúvida só foi possível devido ao seu líder, Jon Schaffer, que nesses 28 anos de carreira pode ter mudado a formação do ICED EARTH diversas vezes mas sempre visando a manutenção da banda como um dos destaques da cena mundial. Pela primeira vez na noite falando com seus fiéis fãs gaúchos, Schaffer introduz a próxima música, "Damien", não deixando de agradecer a calorosa recepção dos fãs gaúchos recebida por ele e seus colegas.

Retomando a divulgação do "Dystopia" era a vez de "Anthem" e "Days Of Rage". Entre estas rolou a ótima "Declaration Day" do álbum "The Glorious Burden", conceitualmente um dos mais interessantes da carreira do ICED EARTH que utiliza como tema eventos da História militar americana. Para alegria dos fãs era a vez de mais uma do álbum "Something Wicked This Way Comes", "Watching Over Me" que serviu de preparação para a longa "Dante's Inferno", única do álbum "Burnt Offerings" a ser tocada na noite. Mesmo com mais de 16 minutos, e suas diversas mudanças de ritmo, ao final da música os fãs ainda tinham fôlego para acompanhar Stu. Todos da banda se destacaram, principalmente a dupla de guitarristas Schaffer e Troy que praticamente rivalizavam com seus riffs.

Saindo do palco por um breve momento, a banda retorna ao som de aplausos e gritos de "Ole, ole, ole Iced Earth" e sem perder tempo dá aos fãs a última do álbum "Something Wicked This Way Comes": "Burning Times". "Iced Earth" finalizaria o show mas banda e público mostravam que queriam mais e o resultado foi a inesperada "Pure Evil", tocada como um bônus já que não estava prevista no setlist. Despedindo-se dos seus fãs com algumas brincadeiras, agradecimentos, palhetas jogadas para a multidão e várias promessas de que retornariam logo, o ICED EARTH deixa o palco do Opinião.

Após quase duas horas de show era visível a satisfação dos que foram conferir o espetáculo proporcionado por Schaffer e seu sólido projeto que mesmo passando por mudanças se mantém com uma base fiel de fãs compreensíveis. Mudanças às vezes são a melhor opção e a mais recente, Stu Block, tem ainda muito a oferecer para o ICED EARTH e, se for dada a oportunidade, promete ficar marcado como um dos grandes vocalistas da banda, quem sabe o definitivo. Só o tempo dirá.

Setlist

Dystopia
Angels Holocaust
Slave to the Dark
V
Stand Alone
When the Night Falls
The Hunter
Damien
Anthem
Declaration Day
Days of Rage
Watching Over Me
Dante's Inferno
Encore:
Burning Times
Iced Earth
Pure Evil

Agradecimentos à Opinião Produtora


Pesquisa

Redes Sociais

Newsletter