Solid Rock Festival - Allianz Parque, São Paulo - 10/11/2018

Por Rogério Talarico
Fotos por Camila Cara, gentilemtne cedidas pela Time For Fun

Após 1 ano, o Festival Solid Rock criado pela Time For Fun retornou ao país, agora encabeçado pelos britânicos do Judas Priest.O esquenta do show ficou à cargo dos americanos do Alice in Chains e do Black Star Riders. A primeira edição do festival contou com o icônico Deep Purple, acompanhados pelo Cheap Tric e Tesla e assim como esta edição, encheu o Allianz Parque, em São Paulo.

Black Star Riders

A primeira banda de abertura foi a Black Star Riders. Apesar da banda ter sido criada em 2012, ela conta com músicos extremamente competentes e experientes: Ricky Warwick (Thin Lizzy) nos vocais, Scott Gorham (Thin Lizzy) nas guitarras, Robbie Crane (Vince Neil / Tuff / Ratt)  no baixo e pelo baterista Chad Szeliga (Breaking Benjamin / Adrenaine Mob /  Black Label Society)  então competência eles possuem e mostraram todo seu carisma ao subir no palco às 18h10min.

A banda, que veio ao paÍS para divulgar seu mais recente disco “Heavy Fire”, tocou apenas “Heavy Fire” e “When the Night Comes In” deste álbum lançado ano passado, focando sua apresentação nas canções presentes em seu álbum de estreia, como “Before the War” e  “Kingdom of the Lost”. Era notável que, para a maior parte dos presentes, o Black Star Riders era novidade. Porém canção após canção a banda cativou cada um dos presentes no estádio, dada a extrema qualidade, alegria dos integrantes e empolgação de suas músicas. Após cerca de 50 minutos, os americanos fecharam sua excelente e apresentação com a empolgante “Bound and Glory”.

Alice in Chains

Depois de 5 anos de sua última vinda ao país, Jerry Cantrell (guitarra), Mike Inez (baixo), Sean Kinney (Bateria) e William Duvall (vocal) voltaram ao país e subiram ao palco às 19h40min com a pesada “Check My Brain”, sendo ovacionados. A banda que é uma das poucas vivas do movimento grunge criado em Seattle do final dos anos 80, exala competência e sincronia no palco e arrancou gritos do público a cada execução.

Assim como a banda anterior, o AIC (como o Alice in Chains é conhecido) tocou apenas 2 músicas de seu mais recente lançamento, sendo “The One You Know” e seu novo single “Never Fade” e, até mesmo nessas duas, o público foi bem participativo. Chamar William de ‘novo vocalista’ é um ultraje, visto que ele está na banda desde 2006 e executa as canções do início da banda, gravadas pelo finado Layne Staley, de forma ímpar e coloca toda sua emoção nelas. A banda que é uma hitmake, tocou as ótimas “Them Bones”, “Down in a Hole” em uma versão quase acústica, “We Die Young”, e o clássico “Man in the Box”, deixando todos boquiabertos. Sem paradas, a banda finalizou seu show após um pouco mais de 1 hora com “Rooster”.

Judas Priest

Após 2 estrondosas apresentações no festival  Monster of Rock em 2015, a banda Judas Priest retornou ao país para encabeçar o Solid Rock. Comandada pelo excelente Rob Halford, o grupo subiu ao palco pontualmente às 21h. Com a música que leva o título de seu último CD “Firepower” a banda recepcionou de forma calorosa os presentes no estádio. Halford é um frontman único e mesmo aos 67 anos de idade consegue comandar os fãs e interagir com toda a banda de forma ímpar.

O Judas Priest presenteou os fãs com algumas canções que não eram tocadas há muito tempo por eles ao vivo  como “Ginder” do clássico álbum British Steel, que não era tocada em turnê desde 2009. “Sinner”, “The Ripper” e “Turbo Lover” foram outras tocadas que esquentaram a noite. O palco que estava todo decorado, possuía um telão gigante que entrelaçavam imagens de fogo com trechos de clipes da banda e, juntamente com as fumaças que saiam de gigantes tritões ajudaram a criar o clima sombrio e entreter a multidão presente. Antes de sair do palco, a banda executou o hit “Painkiller” levando ao delírio toda plateia.

Além de Halford, o grupo que é formado pelos guitarristas Richie Faulkner e por Andy Sneap – ora substituindo o lendário Glenn Tipton que fora diagnosticado com a doença de Parkinson no início deste ano -, Scott Travis na bateria e pelo baixista Ian Hill voltou ao palco para a última trinca de músicas da noite, abrindo com eletrizante “Electric Eye”, o hino “Breaking the Law” e fechando a incrível noite com a dançante “Living After Midnight”. No final do show, a banda se despediu entregando palhetas, baquetas e cumprimentando os mais próximos e enquanto isso, os dizeres “The Priest Will Be Back” (O Priest voltará) apareceram no telão, acalentando o coração dos fãs paulistanos. Apesar da idade avançada de álguns integrantes, o “Priest” ainda tem fôlego para mais alguns bons anos e é claro que nós agradecemos.

Agradecimentos ao David Frare da Time For Fun pela atenção e credenciamento

Set List Black Star Riders

Bloodshot
All Hell Breaks Loose
Jailbreak (Thin Lizzy cover)
The Killer Instinct
Heavy Fire
Before the War
When the Night Comes In
The Boys Are Back in Town (Thin Lizzy cover)
Kingdom of the Lost
Bound for Glory

Set List Alice in Chains

Check My Brain
Again
Never Fade
Them Bones
Dam That River
Hollow
Down in a Hole
No Excuses
We Die Young
Stone
Angry Chair
Man in the Box
The One You Know
Would?
Rooster

Set List Judas Priest

Firepower
Running Wild
Grinder
Sinner
The Ripper
Lightning Strike
Desert Plains
No Surrender
Turbo Lover
The Green Manalishi (Fleetwood Mac cover)
Night Comes Down
Guardians
Rising From Ruins
Freewheel Burning
You've Got Another Thing Comin'
Hell Bent for Leather
Painkiller

Bis:
Electric Eye
Breaking the Law
Living After Midnight


Pesquisa

Redes Sociais

Newsletter