Symfonia - Bar Opinião, Porto Alegre - 31/07/2011

por Carol Flores

O já conhecido Bar Opinião recebeu no último domingo (31/07) um dos nomes de destaque do metal sinfônico recente. A banda SYMFONIA veio a Porto Alegre pela primeira vez em sua turnê de lançamento de seu primeiro álbum, “In Paradasium” (2011). Formada por grandes músicos do gênero Symphonic/Power metal, o SYMFONIA mostrou ao vivo porque realmente merece o título de superbanda.

A banda gaúcha Venus Attack ficou com a difícil tarefa de entreter os poucos presentes antes da atração principal. Tocando músicas autorais e alguns covers, cumpriram seu dever. O destaque foi o entusiasmo do vocalista Mike Polchowic (ex Hangar) que chegou a escalar, literalmente, a estrutura do palco do Opinião durante a execução do cover de Iron Maiden, “The WickerMan”.

Programada para entrar no palco às 22 horas, o SYMFONIA só iniciou sua apresentação 45 minutos depois. Infelizmente, nem este tempo foi suficiente para o número de presentes no Bar Opinião aumentar. O Brasil nunca antes recebeu tantos shows internacionais como agora, isso inclui Porto Alegre. É difícil entender como um show do ANGRA ou do STRATOVARIUS lota tão facilmente o mesmo Bar Opinião e o SYMFONIA, banda de tão igual qualidade e com músicos que já foram de grande importância para as bandas anteriormente citadas, não leva nem 200 pessoas ao show. Porto Alegre, que recentemente voltou ao circuito de shows, corre o risco de ficar de fora das turnês brasileiras, apesar do investimento dos produtores locais para manter a cena rock em destaque na cidade.

Mesmo em pouco número, os fãs presentes não fizeram feio quando, após uma intro de quase 10 minutos, a banda finalmente aparece no palco. André Matos, Timo Tolkki, Jari Kainulainen e Mikko Härkin dispensam apresentações. O baterista convidado para substituir Uli Kusch, Alex Landenburg, foi o primeiro a entrar seguido pelos demais. “Come By The Hills” foi uma boa escolha para abrir o show, com o público cantando junto com André, seguida por “Forevermore”.

Deixando claro que não queriam viver do passado mas apenas prestigiar a carreira de alguns integrantes tocando alguns covers, era a vez de “4th Reich” do Stratovarius. “Rhapsody In Black” e “Santiago” seguem com o show mostrando que mesmo com o pouco tempo de banda, seus integrantes já demonstram bom entrosamento.

Novamente a carreira de Tolkki foi lembrada, agora com a música “Last Night On Earth” do Revolution Renaissance. Um dos grandes momentos da noite veio logo em seguida: “Lasting Child” do Angra,  faixa do clássico álbum Angel’s Cry já era esperada pelos gaúchos que responderam cantando em coro.

André então sai do palco para Tolkki e Mikko realizarem seus solos. Beethoven foi lembrado pelo guitarrista que logo após inicia um duelo com Mikko introduzindo a ótima faixa instrumental “Stratosphere”. Ambos aqui deram um banho de técnica.

Retornando ao palco, André anuncia “Don’t Let Me Go” uma das baladas do álbum de lançamento da banda. Durante todo o show foi comum ouvir pedidos dos fãs para tocarem clássicos do Angra ou Stratovarius sendo que logo antes de tocarem a melhor música do “In Paradasium”, que leva o mesmo nome do álbum, Tolkki se mostrou um pouco incomodado com os incessantes pedidos falando que eles não eram uma Jukebox. Tudo foi esquecido assim que o ótimo coro inicial da música “In Paradasium” invadiu o Bar Opinião levando os bangers à loucura. André teve certas dificuldades nítidas em manter sua voz no nível que a música requer pedindo a ajuda do público para cantar com ele diversas vezes, principalmente mais no final dos quase 10 minutos, porém isso não chegou a prejudicar a apresentação da faixa. Os porto-alegrenses mal tiveram tempo para descansar pois a pesada “Fields Of Avalon” foi tocada em seguida, finalizando a primeira parte do show.

No retorno para o bis, “I Did It My Way” e “Dreamspace” são os últimos tributos tocados das bandas anteriores do Tolkki. Há também um momento em que André agradece aos poucos presentes, mas os melhores em comparação aos outros públicos. Já não é de hoje esse carinho que André Matos tem pelo povo gaúcho e prova disso foi o momento em que, após pedir para o público cantar o hino do Rio Grande do Sul, André fala que admira esse respeito que temos pelo nosso Estado. Antes da última música a banda é apresentada e a cada nome o público rompe em aplausos. Fechando a noite com “Pilgrim Road” o SYMFONIA deixa o palco.

Foi sem dúvida um ótimo show, entretanto o que ficou claramente em destaque foi mais os talentos individuais de cada músico do que o Symfonia como uma banda. Questão que se resolve com o tempo, mais shows e mais convivência na estrada. Já o problema da falta de público em shows de metal na capital gaúcha vem, ao contrário, aumentando nos últimos anos e isso sim é preocupante. O próprio André disse que quer retornar e lotar o Opinião num show do SYMFONIA e somos nós, fãs, os responsáveis por fazer isso acontecer. Ou não.

Setlist

Come By The hills
Forevermore
4th Reich
Rhapsody In Black
Santiago
Last Night On Earth
Lasting Child
Stratosphere
Don't Let Me Go
In Paradasium
Fields Of Avalon

Encore
Dreamspace
I Did It My Way
Pilgrim Road

Agradecimentos ao Espaço Zeppelin e a Urânio Produtora

Pesquisa

Redes Sociais

Newsletter