Symphony X e Pain Of Salvation - Bar Opinião, Porto Alegre - 07/06/2011

Por Carol Flores

A noite chuvosa e fria do último dia 07 de Junho em Porto Alegre não foi suficiente para espantar o público do Bar Opinião, mais uma vez palco para não só um, mas dois grandes nomes do metal internacional. Os americanos da SYMPHONY X e os suecos da PAIN OF SALVATION retornaram à capital gaúcha realizando um show duplo único no país, para alegria dos fãs da cena progressiva.

Pontualmente às 21 horas, como previsto, o vocalista Russell Allen entra no palco liderando o restante da banda formada por Michael Romeo (guitarra), Michael Lepond (baixo), Jason Rullo (bateria) e Michael Pinnella (teclado) ao som de “Oculos Ex Inferni” tocando em seguida “Of Sins and Shadows”, única música tocada do álbum “The Divine Wings Of Tragedy” (1997) na noite, e “Domination” do conhecido álbum “Paradise Lost” (2007).

A banda mostra muito entrosamento, consequencia dos mais de quinze anos de estrada, com destaque para Russel que interagiu bastante com os fãs e para o talento de Romeo que faz o ato de tocar guitarra parecer a coisa mais simples no mundo.  O show continua com a ótima “Serpent’s Kiss” e a primeira música da noite do mais recente álbum, “Iconoclast” (2011), “The End Of Innocence”.

Russel então pergunta para o público se é em Porto Alegre que estão os melhores fãs de Metal e logo depois anuncia “Paradise Lost” para delírio dos presentes. A próxima música executada foi “Smoke and Mirrors”, única da noite do também famoso álbum “Twilight in Olympus” (1998).

Fechando a primeira parte do show, a banda executa “Eve Of Seduction”, “Dehumanized” e “Set The World on Fire”, saindo do palco exatamente uma hora depois do início do show. Nota-se que a maioria das músicas do setlist, seis ao total, são do álbum Paradise Lost, um dos trabalhos que mais rendeu frutos para o SYMPHONY X, destacando-os na cena progressiva mundial. A escolha para o encore não poderia agradar mais os fãs: “The Odissey”, do álbum de mesmo nome de 2002, e seus mais de vinte minutos finaliza a noite. Depois de exatas uma hora e meia, a banda por fim agradece aos fãs e deixa o palco do Opinião, realizando um show que com certeza agradou aos presentes, fãs ou não de SYMPHONY X.

Era agora a vez do PAIN OF SALVATION que entrou no palco do Opinião com quarenta  minutos de atraso mas isso não foi motivo para os fãs irem embora, apesar de ficarem um tanto impacientes. Pelo contrário: a expectativa só aumentou até virar euforia com as primeiras notas de “Remedy Lane” e a volta da banda sueca para Porto Alegre, que não conferia um show da PoS desde 2005.

Léo Margarit (bateria), Fredrik Hermansson (teclado), Johan Hallgren (guitarra), Per Schelander (baixista convidado) e o líder carismático Daniel Gildenlöw (vocal e guitarra) emendam “Of Two beginnings” e “Ending Theme”, ambas do álbum “Remedy Lane” (2002). É notável, desde a primeira música tocada, a presença de palco de todos os integrantes, com destaque para Daniel e Hallgren que mal ficavam parados.

Em seguida veio “America” do álbum Scarsick (2007) mas sem o habitual solo de bateria, “Handful of Nothing” do álbum “One Hour by the Concrete Lake” (1998) e a profunda “Of Dust”, do mais recente álbum “Road Salt One” (2010), com o público fazendo coro.

“Kingdom Of Loss” e “Black Hills” foram executadas mesmo com Daniel não ouvindo sua guitarra, tendo problemas no retorno. Ele chega a se desculpar, inclusive pedindo ao roadie, antes de iniciar “Idioglossia”, que resolvesse a situação pois “realmente precisaria ouvir sua guitarra para a próxima música”. Problemas a parte, era a vez de “Idioglossia” e “Her Voices”, ambas do excelente álbum “The Perfect Element” (2000). O público se acalma um pouco, cantando junto com Daniel a balada “Second Love”, mas por pouco tempo já que a música seguinte foi a pesada “Diffidentia” do álbum “Be” (2004). Mais uma vez Daniel e os demais abusam da energia no palco, não parando por um segundo enquanto o público acompanhava a letra neste que, com certeza, foi um dos pontos altos da noite.

O show continuou com a excelente “Linoleum”, seguida de “Ashes” e uma das melhores do último cd “No Way”, com os fãs gaúchos da PAIN OF SALVATION cantando junto com Daniel e mostrando que receberam bem o “Road Salt One”. Para fechar a primeira parte do show mais três músicas: “Road Salt”, “Falling” e “The Perfect Element”.

Na volta para o encore uma surpresa: Daniel vai para a bateria, dizendo que prepararam algo especial para este show “I said special, not good” (Disse especial, não bom), brincou o vocalista. Foi a vez de Hallgren e Margarit assumirem os vocais. A banda executa parte de “Living For The City” de Stevie Wonder emendando com “Come Together” dos Beatles, ambas muito bem cantadas por Hallgren. Ainda na bateria Daniel anuncia Margarit que assume os vocais em “Don’t Talk To Stranges” em uma bela homenagem para Dio. Um pouco tímido no início, logo Margarit se solta e o público acompanha. Daniel chega a perguntar, em tom de brincadeira, se o público não havia ficado entendiado com a surpresa (como se fosse possível!), e esperava que não já que para eles foi bem divertido.

Mesmo tocando duas músicas a mais e com o relógio já marcando quase duas horas da manhã, a banda ainda guardava três músicas para os gaúchos. A primeira delas foi a ótima, e um tanto diferente para a banda, “Tell Me You Don’t Know”, com uma forte pegada no blues. “Disco Queen”, um dos hinos da PoS, veio logo em seguida contagiando público e banda. E por fim Daniel anuncia a última música da noite, “Nightmist”, um clássico do seu primeiro álbum “Entropia” (1997).

Provavelmente estas foram duas horas e meia de um dos melhores shows que aconteceram, e dos que ainda virão, em Porto Alegre este ano. Gildenlöw e banda souberam manter o interesse do público durante todo o show, esbanjando talento, carisma e deixando os fãs extasiados.

As quase quatro horas dos shows podem dar impressão de que a noite foi longa mas para quem esteve no Opinião o tempo passou rápido e a vontade de curtir um bom show de metal só cresceu depois dessas duas excelentes apresentações. SYMPHONY X e PAIN OF SALVATION deram um banho de técnica e fizeram valer tempo, dinheiro e disposição investidos nesse evento.

Setlist:

Symphony X:
01 - Of Sins and Shadows
02 - Domination
03 - Serpent’s Kiss
04 - End of Innocence
05 - Paradise Lost
06 - Smoke and Mirrors
07 - Eve of Seduction
08 - Dehumanized
09 - Set the World on Fire (The Lie of Lies)
10 - The Odyssey

Pain of Salvation:
01 - Remedy Lane
02 - Of Two Beginnings
03 - Ending Theme
04 - America
05 - Handful of Nothing
06 - Of Dust
07 - Kingdom of Loss
08 - Black Hills
09 - Idioglossia
10 - Her Voices
11 - Second Love
12 - Diffidentia
13 - Linoleum
14 - Ashes
15 - No Way
16 - Road Salt
17 - Falling
18. The Perfect Element
19 - Living for the City (Stevie Wonder)
20 - Come Together (Beatles)
21 - Don’t Talk to Strangers (Dio)
22 - Tell Me You Don’t Know
23 - Disco Queen
24 - Nightmist

Pesquisa

Redes Sociais

Newsletter